Novidades

Conheça 5 livros em francês para iniciantes

Postado por:École Québecem:16/10/2020

Aprender francês é muito mais fácil na companhia de um bom livro. Conheça aqui cinco dicas para iniciantes!

Pássaros têm asas. Pessoas têm livros. Nada como as páginas de uma boa leitura para te transportar além do tempo e do espaço, mostrando novas ideias e diferentes culturas. Uma das maneiras de conhecer mais acerca de um país é entrar de cabeça na literatura do local. 

Figuras de linguagem, descrição de lugares, comportamento, histórias, pensamentos… todos esses elementos estão presente nas linhas de uma narrativa. Por isso, para aprender mais sobre um país, é recomendável ler autores e autoras nacionais. E, claro, de quebra você ainda conhece as nuances do idioma, no nosso caso, o francês québécois.

Está começando a aprender agora? Fique tranquilo! O livro acolhe, conforta, mostra um mundo inteiro apenas ao abrir a capa. Existem diversos tipos, para todos os gostos e linguagens.

Aqui nesse post, separamos cinco indicações de livros para iniciantes e onde encontrá-los facilmente, seja pegando emprestado ou baixando em bibliotecas virtuais de domínio público. Preparados para se perder nas páginas? 

Dicas de 5 livros em francês para iniciantes

Uma das maiores dificuldades dos nossos alunos é encontrar livros em francês para comprar, e ainda, por um preço justo. Por isso, separamos abaixo uma lista com algumas indicações interessantes, não apenas pela linguagem voltada para iniciantes como pela acessibilidade às obras. 

1 – Antologia de fábulas no Québec


Fábulas são histórias curtas, em prosa ou em versos, onde os protagonistas são animais com características humanas. São muito presentes na literatura infantil de quase todos os países porque possuem um caráter educativo, uma vez que uma moral é apresentada no final da narrativa.

Esse livro é uma antologia que reúne fábulas de escritores québécois como Adolphe Marsais, David Benjamin Viger, L. Pamphile Le May e Félix-Gabriel Marchand. É um compilado interessante de cerca de 80 fábulas ambientadas na província e contada para as crianças no decorrer dos últimos 300 anos. 

Você pode baixar gratuitamente aqui nesse link.

2- Fábulas para minhas crianças


Como mencionamos no item anterior, fábulas são ótimas para aprender um idioma porque são simples, populares, mostram uma lição educativa e, de quebra, são divertidas. Por isso, indicamos esse segundo livro de fábulas escrito por P.M. Curtil, uma reprodução fiel de uma obra publicada antes de 1920.

Hoje em dia, essa versão faz parte de uma coleção de livros impressos editada pela Hachette Livre, em parceria com a Bibliotheque Nationale de France.

Acesse o livro gratuitamente aqui nesse PDF.

3- Le Petit Tabarnak


Le Petit Tabarnak conta a narrativa de Jules, uma criança curiosa que juntamente com seu grupo de amigos quer descobrir o significado da palavra “tabarnak”. Afinal, é um palavrão feio que não deve ser pronunciado. Mas qual a sua origem? E porque tanto mistério em cima de uma simples junção de letras? 

Embarque nessa aventura sobre o significado de certas palavras e a cultura religiosa do Québec. Uma história contada por palavras e, sobretudo, com imagens. É um livro lindo, escrito e desenhado por Jacques Goldstyn. Nascido em 1958, o autor e ilustrador de livros infantis québécois, recebeu duas vezes o Prêmio Biblioteca de Montreal pela beleza da sua obra.

4 – Paul à la campagne


Essa história em quadrinhos é uma obra semi-autobiográfica cheia de sensibilidade, escrita e ilustrada por Michel Rabagliati.

O livro possui duas narrativas conduzidas pela nostalgia da infância do jovem Paul. Na primeira, o narrador retorna às memórias das férias de sua infância e relembra momentos importantes da sua juventude. Os flashbacks são inúmeros, e também ligados ao presente, pela presença de Alice, filha de Paul. 

A segunda relata a visita do jovem Paul à tipografia onde seu pai trabalhava.  

Em meio a descobertas e momentos de êxtase, o protagonista relembra com ternura e afeto, os momentos da relação entre o pai e filho.

5. Paul à Québec


Esse é mais um livro da novela gráfica “Paul”, escrito e ilustrado por Michel Rabagliati. Desde 1988, os quadrinhos do autor revolucionam a arte no Québec e, por isso, já foram laureados por reconhecidos prêmios do segmento.

Nessa história em particular, Paul e Lucie são um casal feliz que luta para lidar com o diagnóstico de câncer pancreático terminal do pai de Lucie, Roland. É uma narrativa sensível, com muita vitalidade e detalhes sobre a influência da cultura do Québec. O livro foi adaptado para o cinema em 2015, um filme dirigido por François Bouvier. 

Para finalizar, guarde com cuidado os seguintes links como “favorito” no seu navegador. São sites ideais para baixar obras literárias e outros materiais que podem ajudar na sua aprendizagem, inclusive com obras de domínio público no Québec: 

Chegamos ao final do post! Aqui temos cinco indicações incríveis de livros em francês para iniciantes! Agora, você pode adentrar na cultura québécoise por meio das palavras e desenhos presentes nessas páginas. Espero que tenhamos ajudado! Até a próxima! 

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo! 

Novidades

Enfermeiros e enfermeiras: o Québec está a procura de vocês!

Postado por:École Québecem:09/10/2020

Se você é enfermeira e tem interesse em desenvolver a carreira em outro país, o Québec tem a oportunidade perfeita para você.

Aprender outra cultura, outro idioma, abrir-se a uma nova experiência de vida, ter reconhecimento profissional, ocupar posições mais altas dentro da carreira e conquistar uma remuneração condizente. Se, por acaso, essas são algumas das suas prioridades pessoais e profissionais, gostaríamos de contar algumas boas notícias. 

Primeiro que o Québec é o lugar onde você encontra todos esses itens da lista – somado ainda a tantos outros como, por exemplo, serviços básicos essenciais gratuitos de educação e saúde de qualidade. É o país que alia qualidade de vida alta com o mais importante, interesse genuíno em te acolher.

A segunda novidade é que o Québec está sempre em busca de enfermeiras e enfermeiros. Os representantes do Governo do Québec afirmam que a província tem um olhar especial para as enfermeiras e enfermeiros brasileiros pela qualidade da sua formação e do seu trabalho.

Por isso, se você é graduado em enfermagem e possui, pelo menos um ano de experiência de trabalho, o que acha de começar a se preparar para uma transformação na sua carreira e na sua vida?

Aqui nesse post, você vai descobrir mais detalhes sobre as missões para recrutamento de enfermeiras e enfermeiros, quais pré-requisitos necessários para inscrever-se no processo migratório e como é importante começar a preparar-se desde já.

Conheça mais sobre a missão de recrutamento “Journées Québec”

De acordo com o Governo do Québec no Brasil, a missão de recrutamento “Journées Québec” (JQ) foi desenvolvida para ajudar as empresas da província a recrutar profissionais qualificados fora do país.

Esse evento já acontece na França, por exemplo, há mais de 10 anos e já foi organizado em outros países, como Marrocos e Colômbia. Em breve, acontecerá em outras localidades, como a Tunísia e as Ilhas Maurício.

Organizada em parceria com a Recrutement Santé Québec, um órgão pertencente ao Ministério da Saúde do Québec, a JQ é uma missão multissetorial. Participam diversas empresas, de setores diferentes, como Tecnologia da Informática, Manufatureiro, Saúde… No entanto, a edição 2020 da JQ Brésil será focada em apenas um segmento: enfermagem.

Nesse momento, o objetivo da próxima da JQ é recrutar enfermeiras e enfermeiros. “A gente espera ter uma JQ Brésil multisetorial ano que vem”, conta Sarah Sánchez, Conselheira em prospecção e promoção para o Brasil do Governo do Québec. 

Quais os primeiros passos para inscrever-se nas missões?

Por isso, você enfermeiros tem uma oportunidade interessante em suas mãos. Se, por acaso, está interessado em trabalhar no Québec, esteja atento às missões de recrutamento. Uma dica para manter-se informado é seguir as redes sociais da École Québec!

O segundo passo é acessar o site da plataforma Journées Québec e criar o seu perfil. Segue o passo a passo:

Depois, é necessário preparar-se para as entrevistas, realizadas em francês, uma vez que o Governo busca pessoas que tenham um nível intermediário de fluência.

Assim, antes de qualquer coisa, o ideal é procurar uma escola especializada em francês québécois, como a École Québec, para aprender o idioma. Uma boa estratégia é ir aprendendo enquanto as missões de recrutamento ainda não estão com as inscrições abertas. 

Vale ressaltar que é um processo longo. Depois de passar pela missão de recrutamento e ser aprovado nas entrevistas, os candidatos necessitam percorrer algumas etapas do processo de imigração.

Por exemplo, a pessoa recrutada precisa de autorização da Ordem das Enfermeiras e dos Enfermeiros do Québec (OIIQ) para conseguir fazer o estágio de integração de 30 a 40 dias.

Na sequência, é preciso esperar os resultados de uma avaliação comparativa dos estudos realizados fora do Québec, uma declaração emitida pelo Ministère de l'Immigration, de la Francisation et de l'Intégration (MIFI), o ministério de imigração da província.

Só depois de recolher esses documentos, a pessoa inicia o processo de imigração em si. “ Os candidatos recrutados não vão chegar no Québec do dia para a noite. É importante ter paciência e determinação”, atesta Sarah.

Enfermeiras (os): o Québec está te esperando

Se você analisar todo o processo, incluindo a aprendizagem do idioma, demora pelo menos uns dois anos. É um plano de longo prazo que precisa ser estruturado para virar realidade. No entanto, vale a pena persistir.

A enfermagem do Brasil é valorizada no Québec. É uma província que acolhe imigrantes e oferece todas as condições para os estrangeiros sentirem-se pertencentes à cultura e integrar-se à sociedade. Tanto que, é importante ressaltar, as famílias das pessoas recrutadas podem acompanhá-las. O cônjuge tem visto de trabalho aberto e os filhos poderão estudar.

Assim, se esse for um dos seus objetivos de vida e cabe no seu planejamento profissional, não perca tempo. O Governo do Québec aconselha: mesmo que as missões não estejam abertas, você pode ir se preparando.

Solicite a sua avaliação comparativa de estudos ao MIFI e comece os procedimentos com a ordem profissional. “E, sobretudo, estude francês!”, pontua Sarah. Para isso, conte com a ajuda da École Québec. 

Um conselho final: fique tranquilo. Se não for agora, será em breve. O Québec está constantemente precisando de muitos enfermeiros e a qualidade da formação em enfermagem no Brasil é reconhecida na província. O momento certo vai chegar.

Enquanto isso, a dica é: aprenda francês! Lembrem-se que as chances de contratação estão ligadas ao nível de fluência do idioma e não possuir ao menos o nível intermediário dificulta o trabalho e a integração com a equipe.

Adaptar-se a outro país sempre é um processo e será mais fácil se o idioma não for mais um obstáculo.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!

Novidades

Conheça um pouco sobre a história do Québec

Postado por:École Québecem:02/10/2020

Saiba quais foram os principais fatos que marcaram a história do Québec e como a província resistiu à imposição da língua inglesa e resguardou o direito de falar francês

Você deve ter aprendido na escola que o Brasil começou a ser moldado como uma sociedade ocidental depois da chegada do português Pedro Álvares Cabral, em Porto Seguro, na Bahia, em 1500.

Da mesma maneira, a história do Québec e do Canadá é marcada pela chegada de colonizadores europeus na América do Norte. Primeiramente, foram dois colonizadores italianos contratados tanto pela coroa britânica, quanto pela coroa francesa. 

Em 1497, o explorador italiano Giovanni Caboto (Jean Cabot em francês), chegou em Terra-Nova (Terre-Neuve em francês) achando ter chegando na Ásia. Apropriou-se do território “asiatico”, em nome do rei britânico Henrique VII , e voltou para Londres sem nenhuma intenção de colonizar a região. 

Depois, em 1524, outro explorador italiano, Giovanni de Verrazzano, chegou na mesma costa leste e nomeou as terras recém descobertas como Francesca – em homenagem a Francisco I da França. Mais uma vez, sem nenhum esforço de colonização e ocupação do território.

Jacques Cartier


Dez anos mais tarde, o francês Jacques Cartier cravou uma cruz na península de Gaspé e reivindicou as terras em nome do rei da França. Posteriormente, fez o mesmo com a Ilha de Montreal e nomeou aquele território recém descoberto pelos europeus de “Nova França”.

Essas três figuras marcaram os primórdios da colonização da região onde fica o Québec. Inclusive, a cidade de Gaspé, existe até hoje. Possui 14 mil habitantes e é uma das mais antigas da América do Norte.

Gostou de conhecer um pouco sobre a história québécoise? Compreendemos totalmente, afinal, é muito interessante. Quer saber mais? Continue conosco.

Conheça um pouco sobre a história do Québec: a ‘Nova França’

Mapa da Nova França feito por Samuel de Champlain
Três chefes da nação indígena dos hurões


Então, como contamos acima, o francês Jacques Cartier chamou todo aquele território recém-conquistado de ‘Nova França’. No começo, os franceses não estavam muito interessados em colonizar a região. Alguns parcos comerciantes estabeleceram rotas no Rio São Lourenço e fizeram alianças com os hurões, algonquinos e iroqueses, as tribos indígenas da região. 

Com o tempo, a terra rica e preservada começou a chamar a atenção. Os recursos naturais atraíram muitos europeus e, por volta de 1580, já estavam estabelecidas rotas marítimas, as companhias francesas, com o intuito de transportar os produtos exploratórios para a Europa. 


A ‘Nova França’ abrangia o Canadá e maioria do território dos Estados Unidos e foi chamada assim de 1534 até 1759 – quando as tropas francesas perderam a  batalha travada nas Planícies de Abraão, na cidade de Quebec, para as tropas britânicas.

Vue de la prise de Québec, 13 septembre 1759


Vale ressaltar que nesse meio tempo, em 1608, aconteceu a fundação da cidade de Québec, nome originário da palavra índigena algonquina “Kébec”, cujo significado é  “onde o rio se estreita”. Já a capital Montreal foi fundada em 1642, em um lugar onde já existia um vilarejo de indígenas da nação “iroquois”. 

No entanto, o nome tem origem em francês já que vem da expressão “Mont Royal”, utilizada por Jacques Cartier quando avistou a montanha onde fica a cidade. 

Depois do Tratado de Paris, em 1763, criado para encerrar a Guerra dos Sete Anos, a região passou para o domínio da Grã-Bretanha.

Conheça mais sobre a história do Québec: o famoso Bonaparte

Tratado de Paris 1763

Com o tratado de Paris, de 1763, a França cedeu o território da Nova França para os britânicos. Era a segunda derrota francesa em pouco tempo. Um ano antes, o país já tinha cedido a região de Louisiana, onde residia a maior parte dos francófonos da época da Nova França, à Espanha. 

Assim, o rei Jorge III da Inglaterra alterou o nome da região para Província do Québec. Um fato interessante é que, assim como o Brasil, a história québécoise sofreu influências das conquistas de Napoleão Bonaparte na Europa.

Em 1803, esse mesmo território foi objeto central de um fato denominado como Compra da Louisiana, uma negociação entre o imperador francês e Thomas Jefferson. Apesar de hoje em dia essa região pertencer aos Estados Unidos, ainda é notável a influência da Nova França no local.  

A cidade de New Orleans (Nouvelle-Orléans), por exemplo, é conhecida mundialmente pela música cantada com o sotaque local em francês.

Conheça um pouco sobre a história do Québec: queremos falar francês 

Quando a Inglaterra assumiu o controle do Québec, a maioria das pessoas falava francês – natural depois de tantos anos de dominação da França. Uma das maneiras de controlar um povo é impor seus costumes, língua e religião, por isso, os recém dominadores exigiam que a região fosse anglófona. 

Assim, o período de 1763 até 1960 foi marcado por diversas rebeliões contra os britânicos, como tentativas de resistência à imposição do idioma inglês. A luta e a preservação do direito de falar francês no Canadá é um dos fatos mais bonitos da história do Québec. 

Em uma tentativa de apaziguar a região, os governadores coloniais promulgaram, em 1774, o que ficou conhecido como Ato de Québec. Esse marco histórico proporcionou ao povo quebequense sua primeira Carta de Direitos. 

Isso abriu caminho para o reconhecimento oficial da língua francesa e da cultura francesa na província e também para que os francófonos mantivessem a lei civil francesa e a liberdade religiosa. Esse é um dos primeiros casos da história da humanidade onde a autonomia de escolher no que acreditar foi sancionada pelo Estado.

Outra curiosidade é que são utilizados dois modelos de sistema jurídico: o direito civil francês (usado no Brasil) se aplica nas questões e litígios civis e a Common Law, a lei britânica aplicada nas questões criminais. Essa última, é a utilizada pelo resto do Canadá. 

Conheça um pouco sobre a história do Québec: os plebiscitos de independência

Bandeira do Québec


As relações tensas entre os anglófonos e os francófonos no Canadá chegaram, por duas vezes na história, a um ponto muito tenso. Em 1980 e em 1995, o Parti Québécois, dirigido pelo político René Lévesque, organizou dois plebiscitos para decidir se a província do Québec tornaria-se independente.


Em 1980, 60% da população do Quebec rejeitou a proposta e decidiu ficar na federação canadense. Em 1995, o resultado do plebiscito foi mais apertado: 50,3% dos quebequenses votaram contra a independência enquanto 49,7% queriam ter o primeiro país francófona América do Norte. Uma diferença de apenas de 45 mil votos…


Atualmente, o Québec é a segunda província mais populosa do Canadá e é a única a ter uma população predominantemente francófona. Exatamente por isso, dentre outros fatores, é um dos destinos mais procurados por quem busca oportunidades de estudar e trabalhar em francês. 

E tudo isso é mérito do povo quebequense e consequência dessa luta de quase 500 anos atrás. Legal, né? Agora que você conhece um pouco mais sobre a história do Québec, que tal se aventurar na aprendizagem dessa língua que tanto encanta? 

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo! 

Novidades

Dicas de livros para ler o francês québécois

Postado por:École Québecem:18/09/2020

A literatura québécoise é uma maneira de acessar a cultura e a sociedade do Québec e, de quebra, ainda aprender as nuances do francês da província

“Memorizar palavras não é uma opção se você quer alcançar a excelência”, afirmou o húngaro Balázs Csigi, fluente em sete línguas. Para ele, aprender um idioma está muito além que simplesmente decorar expressões e aplicá-las no dia a dia. 

O poliglota acredita que o processo de aprendizagem é muito mais fácil se a pessoa fizer uma verdadeira imersão na cultura do país. “Em vez de aprender pela repetição, você precisa ir além da superfície e desvelar a cultura escondida atrás de cada palavra e expressão”, afirmou.

No entanto, como conhecer mais sobre a cultura québécoise se estamos aqui no Brasil? Uma das maneiras de quebrar barreiras geográficas e aproximar-se do Québec é explorar a literatura! 

Nada como um bom livro para acessar as características e a estrutura da sociedade do Québec e, de quebra, ainda aprender as nuances do francês da província. Separamos abaixo algumas dicas de obras escritas por autores e autoras québécois. Confira!

5 livros para ler em francês québécois

Todos sabemos que a leitura é extremamente importante. É fundamental para a nossa formação e uma forma interessante de conhecer outras culturas sem sair do lugar. Você pode conhecer o mundo inteiro apenas mergulhando nas páginas de um bom livro.

Ler oferece benefícios incríveis como desenvolver o senso crítico, analisar  outros pontos de vista, visualizar fatos por meio dos olhos de outra pessoa e…aprender um idioma novo. 

A leitura amplia a capacidade de observação, interpretação, síntese e comparação. Por isso, ler autores e autoras québécois é altamente recomendável tanto para estimular a leitura, quanto para ajudar a desenvolver as nuances do francês. 

Abaixo, listamos cinco livros para aprender mais sobre o país e idiomas.

L'histoire de PI (Yann Martel)



Uma família indiana com dificuldades financeiras extremas resolve mudar-se para o Canadá. Donos de um jardim zoológico na Índia, fazem a travessia de barco justamente para conseguir transportar os animais. No meio do trajeto, acontece um naufrágio e o protagonista, Pi, sobrevive em bote com a companhia de um tigre, uma hiena, um orangotango e uma zebra.

O romance de aventura e fantasia, escrito por Yann Martel e inspirado na obra Max e os Felinos, do escritor gaúcho Moacyr Scliar, foi publicado pela primeira vez em 2001. Foi adaptado para o cinema em 2012.

Mauvaise Foi (Marie Laberge)



Neste romance policial trágico e poderoso, com pitadas de humor ácido, a autora Marie Laberge explora as profundezas da alma. Em 1985, em uma pacífica aldeia de Sainte-Rose-du-Nord, uma mulher amada e respeitada por todos é brutalmente assassinada. 

Uma pessoa é acusada, presa e sentenciada à prisão perpétua. Vinte e dois anos depois, um parente do suposto criminoso busca a ajuda do comissário francês Patrice Durand e a detetive Vicky Barbeau com novas informações sobre o crime. 

Les clés du Paradise (Michel Tremblay)



Em 1930, no centro de Montreal, o Paradise era um clube reservado para homossexuais –  na linguagem codificada da época, “garotos velhos”. Edward pretende fazer uma estreia triunfal na noite quando completar 18 anos. No entanto, não será como ele mesmo e sim, travestido em Duquesa de Langeais.

No sétimo volume de La Diaspora des Desrosiers, Michel Tremblay narra com humor, o conflito interno de Edward na descoberta, desenvolvimento e construção da travesti. O arco narrativo do protagonista, além de muito rico e interessante, é essencial para conhecer a fundo um dos mais cativantes personagens da famosa série. 

La déesse des mouches à feu (Geneviève Petterson)



O ano é 1996, a cidade Chicoutimi-Nord, a trilha sonora é o punk rock. Catherine é uma jovem com cabelo à la Mia Wallace e botas vermelhas, atravessando os conflitos internos da fase adolescente. No seu aniversário de 16 anos presencia seus pais se separarem após uma violenta discussão. 

No entanto, a jovem mantém-se inerte aos acontecimentos, absorta com suas novas experiências, com a primeira paixão e com a rebeldia típica da juventude.

Chercher Sam (Sophie Bienvenue)



O morador de rua Mathieu vasculha os becos de Montreal em busca de seu cachorro Sam. A procura intensa desencadeia uma dolorosa volta ao passado e aos motivos que o levaram a morar nas ruas.  Uma obra que instiga o exercício da perspectiva humana sobre o caráter do protagonista, sua condição e sobre os nossos julgamentos.

Pronto! Agora você tem dicas de cinco livros em mãos. São obras clássicas e contemporâneas que ajudarão a conhecer mais sobre a cultura, a geografia, a  estrutura e os conflitos sociais do Québec. De quebra, ainda irá aprender o francês québécois.

Para finalizar, uma dica final: se, por acaso, os livros não são a sua praia, você pode explorar os jornais e as atualidades. O jornal La Presse, é o jornal francófono mais antigo da América do Norte e se tornou recentemente, um jornal digital chamado La Presse+, completamente gratuito nos tablets. Para ver a sociedade quebequense através dos olhos originais e as vezes ácidos e engraçados, a revista Urbania não precisa de apresentação por ser muito conhecida pelos quebequenses.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!

Novidades

Como praticar a escuta para aprender francês québécois

Postado por:École Québecem:04/09/2020

Confira essas dicas de como praticar a escuta para aprender francês québécois e construa uma vivência incrível de aprendizagem 

Aprender uma língua demanda esforço e, por isso, é interessante construir uma jornada de aprendizagem prazerosa. Aqui, separamos algumas dicas e orientações de como aprender francês québécois com leveza e diversão. 

Antes de começar, nos dias em que você sentir-se cansado ou desestimulado, lembre-se do motivo que o levou a aprender essa língua. Mentalize o sonho de morar no Québec, pense nas experiências novas, oportunidades, na mudança de vida… isso dará ânimo para seguir em frente. 

Você pode ter outros motivos que não foram listados, mas, o importante é manter em mente o porquê dessa decisão. Assim, é mais fácil ter foco e fazer tudo que estiver ao seu alcance para aprender o idioma. 

Uma língua, mil maneiras de aprender

Uma das maneiras de entrar de cabeça na aprendizagem do francês québécois é praticar a língua todos os dias. Para isso, explore uma abordagem 360°. Isso significa consumir todos os formatos de mídia e envolver-se na totalidade da experiência. 

Para te ajudar nisso, a École Québec separou dicas de como praticar a escuta e aprender francês québécois. Com essas orientações, você vai construir uma vivência incrível de aprendizagem e aproveitar tudo que o idioma tem para oferecer. 

Vamos lá?

Como praticar a escuta para aprender francês québécois

Explorando podcasts

Todo mundo adora podcast! Esse formato de mídia caiu no gosto popular nos últimos anos, justamente por ser uma forma fácil de aprender. Também porque pode ser consumida em diversos momentos do dia como, por exemplo, no trânsito ou ao realizar uma atividade física.

Sem contar que é um jeito bem legal de consumir o francês québécois na sua essência. Confira a seguir algumas indicações:

3 Bières


“Três cervejas, três pessoas e três assuntos. Uma só discussão!” Esse é o slogan desse podcast criado em 2011 por Pierre-Luc Racine, Yannick Belzil e Gabrielle Caron. A cada semana, o trio recebe um convidado e três assuntos sugeridos pelo público e discute cada um deles degustando uma cerveja. Em 2017 o podcast foi indicado para o prêmio Gala Les Olivier, concedido para programas de humor que se destacam no rádio e na televisão do Québec. 

Répète pas ça


O humorista Alexandre Bisaillon e o comunicador especializado em neuropsicologia Guillaume Dulude apresentam esse podcast de entrevistas.  A cada programa eles recebem um convidado, onde conversam sobre assuntos que não ouviremos em outro lugar. O podcast também foi indicado pela primeira vez na Gala Les Olivier de 2018.

Des si et des raies


Julien Bernatchez, comediante, apresentador de rádio, criador da história em quadrinhos “Bernatchez Joe” e idealizador desse podcast, define o programa como “descontraído, com uma mistura de humor, cheiro forte e prazer intenso”. Na sua concepção, a intenção não é estar no ar para ensinar, e sim, para cometer erros. Vale a pena! 

Sintonizando na rádio e televisão

Para reforçar o aprendizado da língua, aplique os conhecimentos na prática, diariamente. Dessa maneira, é interessante pensar em como absorver os elementos do idioma, introduzindo a aprendizagem na rotina como, por exemplo, ouvir rádio e sintonizar nos canais de televisão do Québec.

Assim, você vai aprendendo o idioma ao mesmo tempo em que vai mergulhando na nova cultura – algo extremamente importante. 

Sintonize na Radio Canada e nos canais Télé Québec e TV5UNIS. Depois, pratique um pouco das pronúncias em casa!

Pronto! Qual desses programas você vai escutar primeiro? Aproveite essas orientações sobre como praticar a escuta para aprender francês québécois. Para finalizar, tenha em mente que o melhor caminho é utilizar o idioma para construir seu próprio mundo linguístico. Não existe uma forma única de pensar ou aprender. Esteja aberto a todas possibilidades!

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!

Novidades

Conheça 10 bons motivos para estudar francês

Postado por:École Québecem:28/08/2020

Descubra aqui quais são os dez melhores motivos para você entrar de cabeça no aprendizado do francês

Aprender uma língua aumenta a empregabilidade, melhora seu currículo e te coloca em um outro patamar de atuação como um profissional. Em nível pessoal, abre sua cabeça a novas conexões neurais e estimula seu raciocínio e sua inteligência cognitiva.

Fora isso, é uma maneira de conhecer uma cultura, abrir-se a experiências internacionais, entrar em contato com diferentes formas de encarar o mundo… Na verdade, aprender é a única coisa da vida que só traz ganhos.

Esses benefícios são inerentes ao estudo de qualquer língua. Contudo, existem algumas vantagens específicas tratando-se de aprender francês. E mais ainda quando estamos falando sobre o québécois. Em outras palavras, aquele falado na província do Québec, no Canadá.

Aqui nesse post, vamos  mostrar 10 bons motivos para estudar francês e por que começar a estudar esse idioma dentre tantos que existem no mundo. Vamos lá?

Conheça 10 bons motivos para aprender francês

1) Língua em expansão 

Caso você ainda não saiba, o francês é a quinta língua mais falada do mundo. Nos últimos anos, ainda houve um crescimento exponencial no número de falantes, além do meio acadêmico ou linguístico. Esse avanço está ligado ao aumento do uso em ambientes corporativos. 

2) Está presente em diferentes áreas empresariais

Pesquisas mostram que o francês é o terceiro idioma mais utilizado em transações empresariais. Ainda, segundo dados do British Council, é a segunda língua mais utilizadas em trocas econômicas dentro de empresas com origem britânica.

3) Importante dentro da área de negócios

Os dados ainda apontam a crescente importância do francês em relação área de negócios em nível mundial. Os Investimentos em Diretos Estrangeiros (IDE) do espaço francófono apresenta números relevantes. Ou seja, saber falar essa língua é um verdadeiro diferencial no mercado de trabalho.

4) Oportunidades únicas para falantes da língua

Atualmente, existem no Brasil cerca de 800 empresas francesas. Sem contar as nacionais que negociam com organizações francófonas. Fora isso, existem diversas oportunidades de estudo e trabalho em países que falam francês, como no caso do Québec, no Canadá.

5) Aumenta sua rede de contatos

Seguindo todas essas premissas, falar francês amplia consideravelmente as possibilidades de você desenvolver uma rede de relacionamentos com profissionais de outros países. Ou ainda ser alocado para uma oportunidade no exterior e desenvolver as conexões preciosas.

6) Possibilidades concretas de migração

Aprender francês é estar pronto para aproveitar oportunidades de trabalho no exterior. O Québec, por exemplo, é uma sociedade aberta à imigração. A cada ano, acolhe, em média, 45 mil imigrantes provenientes de uma centena de países.

7) Abre caminhos para a evolução na carreira

O Québec é reconhecido por oferecer uma evolução em diversas carreiras e recebe cerca de 45 mil pessoas por ano. Saber falar francês, em especial o québécois, é uma maneira de destacar-se nos processos de seleção migratórios para a região canadense.

8) Proporciona mudanças de vida

Além de estar aberto o receber jovens profissionais e suas perspectivas profissionais são muito interessantes, o Québec oferece a oportunidade perfeita para quem procura  uma mudança de vida. Entre suas opções estão desde um simples intercâmbio até formações universitárias nas faculdades francófonas.

9) Viver uma experiência 


Falar francês québécois oferece a possibilidade de viver em uma sociedade democrática, aberta e francófona como a encontrada no Québec. Um local reconhecido por sua qualidade de vida, poder de compra razoável, saúde pública gratuita, educação a preços acessível, creches públicas de alto nível e um ambiente seguro.

10) Ampliar seus horizontes

Por último, aprender francês québécois pode ser a sua porta de entrada para conhecer o mundo, aumentar suas percepções, sair da sua zona de conforto e ainda tornar-se um cidadão do Québec e estar sempre pronto para as questões e rápidas transformações mundiais.

Ufa! Essas são as dez principais razões para entrar de cabeça no estudo do francês, em especial, no falando no Québec. Aprender essa língua te oferece a oportunidade de evolução profissional e uma guinada de vida significativa.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!

Novidades

10 perguntas comuns em entrevistas de empregos no Québec

Postado por:École Québecem:21/08/2020

Guia completo de como melhor responder à essas perguntas.

A felicidade de marcar uma entrevista de emprego que pode mudar a sua vida para sempre pode rapidamente transformar-se em uma ansiedade sem fim. Afinal, serão apenas alguns minutos para você demonstrar o quanto você pode contribuir e conquistar essa oportunidade. 


Pensando nisso, separamos 10 perguntas comuns nas entrevistas de emprego para vagas no Québec. Além disso, acrescentamos algumas informações de como respondê-las, dicas práticas para ajudar verdadeiramente e aumentar as suas chances. 

Fique tranquilo e respire fundo. Com as informações certas, você vai conquistar a atenção dos recrutadores e dar um passo a mais rumo a sua nova qualidade de vida.  

Lista de perguntas mais comuns

1 – FALE UM POUCO SOBRE VOCÊ

Ao contrário do que seria normal, esse tipo de pergunta não é sobre qual a sua idade, estado civil ou quantos filhos tem. Normalmente, em um processo de adaptação a outro país, é natural achar que essa pergunta é sobre sua vida pessoal.


No entanto, nesse caso, a ideia é falar sobre você, sua formação, suas qualidades, aprendizados e como você pode agregar valor à empresa. É extremamente necessário que você seja você. Não tenha medo de expor suas opiniões e gostos, deixe transparecer a sua personalidade, e quem você realmente é. Isso é o que mais chama a atenção dos recrutadores, descobrir a personalidade dos candidatos e com isso saber quem realmente irá se encaixar e melhor se adaptar a cultura da empresa.
Uma outra dica é em relação ao vestuário: use trajes formais. Vá de social.

2 – POR QUE VOCÊ ESCOLHEU ESSA FORMAÇÃO?

Aqui, é importante citar o porque você se identifica com a sua área de formação. Analise se isso está alinhado com o seu propósito, seus valores e sua realização pessoal. Demonstre paixão pelo o seu trabalho. 

Fora isso, é importante deixar claro quais são os motivos pelos quais você se identifica com essa área de formação. 

3 – CONTE SOBRE AS SUAS EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS ANTERIORES

O objetivo dessa pergunta é falar sobre a sua bagagem de vida. Ou seja, mais do que a experiência que está no currículo, conte sobre algo que amou fazer, as escolhas que ajudaram na sua carreira, o estágio que agregou valor à sua formação profissional. 

Cite algum desafio e como superou. Por exemplo, uma mudança de cargo, aumento das responsabilidades, uma guinada de carreira, como lidou com a pressão… Ressalte seu crescimento dentro da profissão e conte mais sobre essa trajetória. 

4 – QUAIS SÃO SUAS QUALIDADES PRINCIPAIS? 


Essa é uma pergunta muito comum e que costuma deixar os candidatos inseguros com a resposta. Por isso, a dica aqui é: reflita sobre quais são suas principais qualidades e quais são as que mais se relacionam com a empresa e o trabalho.


Geralmente, citar até três pontos fortes é o suficiente. O objetivo não é citar as qualidades que você acha que o entrevistador quer ouvir, mas sim, pontuar seus atributos e como encaixam nos valores da empresa. 

5 – ME DÊ UM EXEMPLO CONCRETO QUE EXEMPLIFICA COMO VOCÊ É UMA PESSOA QUE SE INTEGRA FACILMENTE EM UM NOVO MEIO DE TRABALHO.

Essa pergunta está além de ser extrovertido e fazer amizades facilmente. Está relacionado ao respeito ao próximo, empatia, como você vive dentro do âmbito coletivo. 

Reflita sobre isso. Afinal, como você se integrou às equipes anteriores? Não existe uma resposta pronta, o fundamental é ser sincero e mostrar quais os pontos positivos da sua personalidade que contribuem para o desenvolvimento do trabalho coletivo. 

6 – QUAIS SÃO SEUS PONTOS FRACOS? 

Todas as pessoas possuem pontos fortes e fracos. Por isso, pense em quais são as suas características mais difíceis e como isso pode afetar seu trabalho e sua equipe. 

Fuja de respostas clichês como “perfeccionista” ou “trabalhar demais”. 

Na hora de responder, foque naquele ponto fraco que seja gerenciável e que não afete o seu desempenho. 

Demonstre naturalidade e segurança, ressaltando que é algo que está trabalhando para melhorar. Ter consciência dos defeitos é tão importante quanto ter qualidades. Pensar sobre isso é importante não apenas para a entrevista, mas para direcionar sua carreira como um todo.

7 – “POR QUE DEVERÍAMOS TE CONTRATAR?”

Aqui é o momento de você ‘vender seu peixe”, de dizer o quanto você é importante e como vai agregar para o desenvolvimento do negócio. Uma dica para responder essa pergunta é conhecer o perfil da empresa. 

Assim, você consegue pensar em quais atributos precisa e o quanto vai trazer de conhecimento novo para a companhia.

8 – ONDE VOCÊ SE IMAGINA DAQUI A 5 ANOS?

Como seu plano é estabelecer uma carreira no Québec e fixar raízes no país, mostre o quanto você gostaria de contribuir e criar vínculos. Mencione “atingir um nível de francês québécois avançado”, por exemplo. 

Estar integrado totalmente a rotina do lugar novo. Ou conquistar um cargo alto dentro de uma empresa. Liderar uma equipe. Continuar os estudos, entrar em uma nova graduação, qualificar-se cada vezes mais… 

9 – “POR QUE O QUÉBEC/CANADÁ?”

Aqui você pode mencionar que já está pesquisando informações a bastante tempo sobre o país/lugar e sobre os programas de imigração. De fato, agora que sabe que é possível perguntarem algo nessa linha, reflita realmente sobre o porquê. 

Seja sincero! Seria qualidade de vida, afinidade com a cultura, busca pela segurança? Maior empregabilidade, chances de crescer, de evoluir profissionalmente? 

No mínimo, você pode mencionar  que viver uma experiência internacional é muito enriquecedora e que agregaria muito conhecer e conviver em uma cultura diferente. 

10 – VOCÊ TEM ALGUMA QUESTÃO A FAZER PARA NÓS?

Nesse tipo de pergunta, é aconselhável fazer perguntas sobre a visão da empresa para o futuro (não só no aspecto individual, mas como organização). Isso demonstra que o candidato pesquisou e quer saber os planos da empresa para o futuro.

Fora isso, é importante demonstrar interesse em saber como a companhia trata os empregados a longo prazo, ainda se existe um plano de carreira e como trabalham o desenvolvimento dos colaboradores. 

Isso é uma maneira de mostrar que você pretende ficar na empresa por bastante tempo.

Pronto! Aqui estão as 10 perguntas comumente feitas nas entrevistas de emprego e como se preparar para responder cada uma delas. Mostramos os pontos fundamentais a serem abordados e formas de surpreender os recrutadores quebequenses.

Para te ajudar ainda mais, a École Québec oferece preparatório de entrevistas.
Não perca tempo e venha simular uma entrevista com professores nativos do Québec! 

Novidades

Série original do Québec estreia na Netflix

Postado por:École Québecem:12/08/2020

Série premiada é a primeira produção original do Québec no streaming, uma ótima oportunidade de treinar francês

A Netflix, não para de lançar novas séries, filmes e documentários, inclusive originais, produzindo centenas de horas de programação em diferentes países do mundo. 

Sempre em busca de novas séries, o streaming apresentou crescimento significativo nos últimos anos, ganhando popularidade devido às séries originais e a seleção de produções de qualidade para o mercado do entretenimento. 

Para manter-se em constante crescimento mundial, com o objetivo de atingir o maior número possível de público, a Netflix adquiriu os direitos da série M'entends-tu? – a primeira série original do Québec a entrar no catálogo! 

Isso mesmo, uma oportunidade incrível de  treinar e aperfeiçoar o seu francês québécois. Vamos conversar mais sobre o enredo e porque essa série é imperdível! 

M'entends-tu?: do Québec para o mundo 

M'entends-tu? conta a história de três amigas de um bairro pobre em Montreal, unidas pelas situações difíceis da vida. Juntas, Ada (Florence Longpré), Fabiola (Mélissa Bédard) e Carolane (Landve Landry) tentam encarar suas realidades, problemas conjugais e familiares com bom humor e esperança. 

A série, criada em 2018, pela escritora e atriz Florence Longpré foi ao ar na Télé-Québec e teve uma recepção muito favorável dos críticos, além de receber cinco prêmios Gemini em 2019. Recentemente, foi confirmada a terceira temporada. 

O sucesso despertou a atenção da Netflix.  Agora, no catálogo do streaming desde o começo de junho, a primeira temporada de M'entends-tu? está em 190 países e legendada em 30 idiomas diferentes.

Mas você não precisa de legenda, não é mesmo? Essa é uma série perfeita para conhecer mais sobre o idioma, os costumes, o dia a dia e as pessoas do Québec! Aproveite os dez episódios da primeira temporada e treine bastante seu francês! 

A Netflix ainda não divulgou as datas para a estreia da segunda temporada. 

E se você gostar bastante, a segunda temporada está disponível no site do canal Télé-Québec! Pena que as filmagens da terceira temporada foram adiadas por conta da pandemia do Covid-19 🙁 

Em breve nós postaremos o review completo sobre a série.

Fiquem ligados! E aproveite para treinar seu francês québécois.

Novidades

5 Dicas para uma boa entrevista de emprego

Postado por:École Québecem:31/07/2020

Você está preparado para uma entrevista em francês, com recrutadores do Québec?

Como se comportar? O que vestir? O que é crucial para dizer?

Se essas são algumas das suas milhares de dúvidas, não se desespere mais. Separamos aqui, tudo o que há de mais importante para saber antes de fazer uma entrevista com recrutadores quebequenses.

SEJA VOCÊ E RELAXE!


No Quebec, a entrevista de emprego é muito mais focada em descobrir quem você é, e se você se enquadra dentro da cultura da empresa, do que fazer perguntas muito específicas sobre uma competência no seu currículo.
Se você foi chamado, é porque a empresa gostou (e acredita) que as competências do seu currículo são verdadeiras. O recrutador vai perguntar um pouco sobre elas mas, na maioria dos casos, o foco da entrevista é descobrir a sua personalidade e se vai ter química entre você e a equipe.

Em muitos casos, as suas competências técnicas serão avaliadas em detalhes com uma prova ou um teste técnico após a entrevista de emprego.

Culturalmente, a sociedade quebequense não é muito formal e a grande maioria dos entrevistadores quebequenses se comportarão da mesma forma na entrevista. É indicado usar o ”Vous” no primeiro contato com o entrevistador mas é bem provável que ele vai falar logo que você pode ”le tutoyer” ou ele mesmo já vai usar o ”Tu” com você, e usar um tom bem amigável.

O objetivo é bem simples: quebrar a formalidade e tirar uma parte do estresse e do nervosismo do candidato para descobrir mais rápido a sua personalidade.

Aproveite isso para ser você!

1 – CONHEÇA BEM A EMPRESA

O momento que antecede a entrevista, é a sua oportunidade de aprender sobre a cultura da empresa, sobre as pessoas que trabalham lá, e sobre a vaga.

Se você estiver bem preparado na hora de se apresentar para a empresa, você vai se sentir confiante e apto para desenvolver uma conversa e poderá discutir todos os pontos apresentados no decorrer da entrevista. As melhores entrevistas são aquelas que tem maior fluidez na conversa e não as que se parecem com interrogatórios.

É de extrema importância fazer uma pesquisa sobre a empresa e conhecer a descrição da vaga, antes de participar do processo seletivo. Além de buscar candidatos com a experiência e o conhecimento necessários, as empresas buscam pessoas motivadas para se juntarem à equipe.

Um bom conhecimento sobre a empresa recrutadora te abre a possibilidade de também fazer perguntas pertinentes sobre a empresa. Procure acessar o site da empresa e memorizar algumas informações ou particularidades. Dessa forma você se mostra mais interessado, e isso tem um valor muito significativo para os recrutadores.

2 – REFLITA SOBRE A SUA TRAJETÓRIA E SEUS OBJETIVOS

Vale lembrar que é importante você ter em mente o que te atrai nesse trabalho e que atribuições você pode agregar para a empresa.

Durante a entrevista, você receberá perguntas sobre seu histórico de trabalho, para as quais você terá que responder dando exemplos. É essencial poder discutir de forma concisa qualquer assunto relacionado à sua experiência de trabalho e, para exemplificar você pode mencionar trabalhos que você executou e que acha pertinente dizer.

É importante ressaltar alguns trabalhos ou projetos dos quais você fez parte, que sejam relevantes e agreguem ainda mais valor quando você for descrever suas habilidades e histórico profissional. Cada detalhe importa.

Alguns elementos importantes que podemos te destacar são:

  • projetos que participou;
  • descrição e objetivo do projeto;
  • sua função;
  • tecnologias utilizadas (habilidades dentro da sua área de formação);
  • trabalho em equipe (número de membros);
  • realizações;
  • problemas e soluções;
  • suas falhas e no que poderia ter melhorado.

A palavra chave para o sucesso em uma entrevista é o autoconhecimento. Quanto mais você se conhecer, mais fácil será e, mais natural será para responder as perguntas. E assim, parecerá mais confiante ao julgamento do recrutador.

3 – ANTECIPE-SE A PERGUNTAS E TESTES

Para os profissionais da área técnica, (programador, TI, área da saúde, etc.) é importante estar preparado para responder a perguntas técnicas durante a entrevista ou fazer um teste Técnico.
Não deixe que o teste te pegue de surpresa, ou despreparado. Esses testes geralmente são realizados de alguma dessas formas:

  • um teste escrito ou eletrônico;
  • perguntas técnicas feitas por um membro da equipe (geralmente feitas por um gerente);
  • um problema de programação a ser resolvido em um quadro branco.

Dependendo da empresa, você pode ser convidado para mais de uma entrevista, chegando a participar de até três entrevistas antes de ser contratado.

Em um primeiro momento, você fará a entrevista com uma pessoa de recursos humanos, onde ela avaliará se você atende os requisitos. Para uma segunda entrevista, essa já seria com um diretor ou líder de equipe que irá avaliar as suas habilidades e conhecimentos. Mas pode acontecer de a entrevista ser com os dois avaliadores juntos.

A entrevista é o momento perfeito e indispensável para mostrar do que você é capaz e é por isso que você precisa fazer todo o possível para estar bem preparado.

Prepare-se, acredite em si mesmo e concentre-se em suas qualidades e na sua experiência.

4 – ELABORE BEM SUAS RESPOSTAS

Lembre-se sempre de que as empresas, procuram profissionais qualificados para atingir seus objetivos e aumentar seus lucros. Se você foi convidado para uma entrevista, é porque a empresa já está interessada em seu perfil e deseja saber mais sobre sua experiência e o que você pode agregar.

Ouça atentamente as perguntas e responda da melhor maneira possível, de preferência dando exemplos, e o mais detalhado possível. Respostas afirmativas ou negativas, dão a sensação de desinteresse e não permitem que o recrutador o conheça bem.

Importante, seja detalhista nas suas respostas, mas não dê respostas infinitas, deixando espaço para informações desnecessárias. Porque você pode se dispersar do verdadeiro assunto tratado, fazendo com que o recrutador se perca.

Não se apresse para responder as perguntas rapidamente.

5 – NÃO TENHA VERGONHA DE MOSTRAR FRAGILIDADES

Já chegue preparado para poder falar das suas três maiores qualidades e ser capaz de listar uns três defeitos. Evite o clássico truque de maquilhar uma qualidade dentro de um defeito. O clássico, “Sou prefectionista”.

As empresas não esperam a perfeição de seus funcionários, ou que os candidatos saibam tudo. Eles procuram pessoas que conheçam seus pontos fortes e que estejam cientes de seus pequenos defeitos e que estejam dispostos a melhorar a cada dia mais.

Não tenha vergonha de falar bem de si mesmo se for bom em alguma coisa. Da mesma maneira, que não há problema nenhum em expressar ao empregador sua falta de conhecimento de alguma coisa. 

Ser transparente ajuda a criar um vínculo de confiança e fortalece sua credibilidade. Se você não souber algo, não há mal em responder “Não sei.”

DICA BÔNUS: FAÇA ENTREVISTAS SIMULADAS

Recriar o ambiente e as perguntas de uma entrevista te deixará mais preparado e seguro.

Pense nas perguntas mais comuns que você já respondeu em entrevistas e prepare respostas para cada uma delas. O objetivo não é decorar respostas, afinal você pode soar artificial, mas não ser pego de surpresa com algo que seja fácil de prever.

Para te ajudar ainda mais, a École Québec oferece preparatório de entrevistas com professores nativos do Québec.

SAIBA MAIS!

Novidades

Governo do Quebec autoriza a retomada das contratações de profissionais qualificados no Brasil e no mundo

Postado por:École Québecem:22/07/2020

As missões de recrutamento da Québec International, da Montréal International, da Société de développement économique de Drummondville e da Recrutement Santé Québec voltarão a contratar virtualmente em outubro e novembro no Brasil.

Após meses suspensas por causa da pandemia da COVID-19, o Ministério da Imigração, da Francisação e da Inclusão do Québec (MIFI) deu o sinal verde para a retomada – de forma virtual – das missões de recrutamento de profissionais qualificados.


Nessas próximas missões no Brasil, as empresas quebequenses divulgarão principalmente vagas para profissionais de TI e profissionais de saúde como enfermeiras e auxiliares de enfermagem.

Com uma economia sólida e excepcional ambiente de trabalho, o Quebec se tornou uma região cobiçada por profissionais brasileiros que querem uma nova vida no exterior.

A política atual do Governo do Quebec é retomar as missões unicamente nos setores onde ainda há – no momento – uma falta de profissionais qualificados, ou seja, principalmente nas áreas de TI e de enfermagem até a retomada da economia mundial pós-COVID.

O Quebec aceita em torno de 50.000 imigrantes por ano, grande parte deles são trabalhadores qualificados de setores que a província precisa para assegurar o seu desenvolvimento econômico.

A Québec International, a Montréal International e o órgão público do Ministério da Saúde do Québec, a Recrutement Santé Québec, são os principais órgãos que voltaram a recrutar profissionais no Brasil e em outros países do mundo. A Recrutement Santé Québec fará as sua missão virtual de recrutamento junto com o Ministério da Imigração, da Francisação e da Inclusão do Québec (MIFI).

Como o francês é a língua oficial de Quebec, é extremamente importante que os candidatos às vagas tenham um nível, no mínimo, intermediário.

Divulgação das vagas de trabalho

O Québec en Tête, a Talent Montréal e o site da Recrutement Santé Québec, possuem um sistema para cada interessado se cadastrar e ficar por dentro das ofertas. Mon Dossier é o cadastro para os profissionais de saúde. Mon Compte (Québec International) e Mon Compte Candidat (Montreal International) são os cadastros para as vagas dos outros setores, como de TI e videogames por exemplo.

Todas as vagas de trabalho para as missões de recrutamento são divulgadas exclusivamente por eles, assim como o cadastro de currículo e candidatura às vagas.

As missões de recrutamento permitem aos empregadores do Quebec buscarem candidatos qualificados ao redor do mundo. Na última missão de recrutamento feita no Brasil, em abril de 2019, foram recrutados mais de 102 profissionais qualificados. Na última missão mundial, em setembro de 2019, foram mais de 129 profissionais recrutados.

Próximas Missões de Recrutamento virtuais

Recrutamento mundial da Québec International


5 a 9 de outubro de 2020 (entrevistas online)
Profissionais de TI e outros setores
Divulgação das vagas: 15 de agosto de 2020

Recrutamento mundial da Montréal International



19 de outubro a 6 de novembro de 2020 (entrevistas online)
Profissionais na área de TI e videogames
Divulgação das vagas: 31 de agosto de 2020


Recrutamento no Brasil do MIFI e da Recrutement Santé Québec



3 a 6 de novembro de 2020 (entrevistas online)
Profissionais na área da saúde

Lembrando que as entrevistas serão feitas online e exclusivamente em francês, os candidatos devem ter conhecimento intermediário do idioma.

Esse é o momento de se preparar para as entrevistas, a École Québec conta com mais de 15 anos de experiência no ensino da língua francesa e tem cursos preparatórios exclusivos para quem quer se preparar para participar das entrevistas das Missões de Recrutamento.

Para mais informações entre em contato nos WhatsApp das unidades da École Québec:

+55 (11) 99687-5400 / +55 (21) 97238-5500