Novidades

Conheça um pouco sobre a história do Québec

Postado por:École Québecem:02/10/2020

Saiba quais foram os principais fatos que marcaram a história do Québec e como a província resistiu à imposição da língua inglesa e resguardou o direito de falar francês

Você deve ter aprendido na escola que o Brasil começou a ser moldado como uma sociedade ocidental depois da chegada do português Pedro Álvares Cabral, em Porto Seguro, na Bahia, em 1500.

Da mesma maneira, a história do Québec e do Canadá é marcada pela chegada de colonizadores europeus na América do Norte. Primeiramente, foram dois colonizadores italianos contratados tanto pela coroa britânica, quanto pela coroa francesa. 

Em 1497, o explorador italiano Giovanni Caboto (Jean Cabot em francês), chegou em Terra-Nova (Terre-Neuve em francês) achando ter chegando na Ásia. Apropriou-se do território “asiatico”, em nome do rei britânico Henrique VII , e voltou para Londres sem nenhuma intenção de colonizar a região. 

Depois, em 1524, outro explorador italiano, Giovanni de Verrazzano, chegou na mesma costa leste e nomeou as terras recém descobertas como Francesca – em homenagem a Francisco I da França. Mais uma vez, sem nenhum esforço de colonização e ocupação do território.

Jacques Cartier


Dez anos mais tarde, o francês Jacques Cartier cravou uma cruz na península de Gaspé e reivindicou as terras em nome do rei da França. Posteriormente, fez o mesmo com a Ilha de Montreal e nomeou aquele território recém descoberto pelos europeus de “Nova França”.

Essas três figuras marcaram os primórdios da colonização da região onde fica o Québec. Inclusive, a cidade de Gaspé, existe até hoje. Possui 14 mil habitantes e é uma das mais antigas da América do Norte.

Gostou de conhecer um pouco sobre a história québécoise? Compreendemos totalmente, afinal, é muito interessante. Quer saber mais? Continue conosco.

Conheça um pouco sobre a história do Québec: a ‘Nova França’

Mapa da Nova França feito por Samuel de Champlain
Três chefes da nação indígena dos hurões


Então, como contamos acima, o francês Jacques Cartier chamou todo aquele território recém-conquistado de ‘Nova França’. No começo, os franceses não estavam muito interessados em colonizar a região. Alguns parcos comerciantes estabeleceram rotas no Rio São Lourenço e fizeram alianças com os hurões, algonquinos e iroqueses, as tribos indígenas da região. 

Com o tempo, a terra rica e preservada começou a chamar a atenção. Os recursos naturais atraíram muitos europeus e, por volta de 1580, já estavam estabelecidas rotas marítimas, as companhias francesas, com o intuito de transportar os produtos exploratórios para a Europa. 


A ‘Nova França’ abrangia o Canadá e maioria do território dos Estados Unidos e foi chamada assim de 1534 até 1759 – quando as tropas francesas perderam a  batalha travada nas Planícies de Abraão, na cidade de Quebec, para as tropas britânicas.

Vue de la prise de Québec, 13 septembre 1759


Vale ressaltar que nesse meio tempo, em 1608, aconteceu a fundação da cidade de Québec, nome originário da palavra índigena algonquina “Kébec”, cujo significado é  “onde o rio se estreita”. Já a capital Montreal foi fundada em 1642, em um lugar onde já existia um vilarejo de indígenas da nação “iroquois”. 

No entanto, o nome tem origem em francês já que vem da expressão “Mont Royal”, utilizada por Jacques Cartier quando avistou a montanha onde fica a cidade. 

Depois do Tratado de Paris, em 1763, criado para encerrar a Guerra dos Sete Anos, a região passou para o domínio da Grã-Bretanha.

Conheça mais sobre a história do Québec: o famoso Bonaparte

Tratado de Paris 1763

Com o tratado de Paris, de 1763, a França cedeu o território da Nova França para os britânicos. Era a segunda derrota francesa em pouco tempo. Um ano antes, o país já tinha cedido a região de Louisiana, onde residia a maior parte dos francófonos da época da Nova França, à Espanha. 

Assim, o rei Jorge III da Inglaterra alterou o nome da região para Província do Québec. Um fato interessante é que, assim como o Brasil, a história québécoise sofreu influências das conquistas de Napoleão Bonaparte na Europa.

Em 1803, esse mesmo território foi objeto central de um fato denominado como Compra da Louisiana, uma negociação entre o imperador francês e Thomas Jefferson. Apesar de hoje em dia essa região pertencer aos Estados Unidos, ainda é notável a influência da Nova França no local.  

A cidade de New Orleans (Nouvelle-Orléans), por exemplo, é conhecida mundialmente pela música cantada com o sotaque local em francês.

Conheça um pouco sobre a história do Québec: queremos falar francês 

Quando a Inglaterra assumiu o controle do Québec, a maioria das pessoas falava francês – natural depois de tantos anos de dominação da França. Uma das maneiras de controlar um povo é impor seus costumes, língua e religião, por isso, os recém dominadores exigiam que a região fosse anglófona. 

Assim, o período de 1763 até 1960 foi marcado por diversas rebeliões contra os britânicos, como tentativas de resistência à imposição do idioma inglês. A luta e a preservação do direito de falar francês no Canadá é um dos fatos mais bonitos da história do Québec. 

Em uma tentativa de apaziguar a região, os governadores coloniais promulgaram, em 1774, o que ficou conhecido como Ato de Québec. Esse marco histórico proporcionou ao povo quebequense sua primeira Carta de Direitos. 

Isso abriu caminho para o reconhecimento oficial da língua francesa e da cultura francesa na província e também para que os francófonos mantivessem a lei civil francesa e a liberdade religiosa. Esse é um dos primeiros casos da história da humanidade onde a autonomia de escolher no que acreditar foi sancionada pelo Estado.

Outra curiosidade é que são utilizados dois modelos de sistema jurídico: o direito civil francês (usado no Brasil) se aplica nas questões e litígios civis e a Common Law, a lei britânica aplicada nas questões criminais. Essa última, é a utilizada pelo resto do Canadá. 

Conheça um pouco sobre a história do Québec: os plebiscitos de independência

Bandeira do Québec


As relações tensas entre os anglófonos e os francófonos no Canadá chegaram, por duas vezes na história, a um ponto muito tenso. Em 1980 e em 1995, o Parti Québécois, dirigido pelo político René Lévesque, organizou dois plebiscitos para decidir se a província do Québec tornaria-se independente.


Em 1980, 60% da população do Quebec rejeitou a proposta e decidiu ficar na federação canadense. Em 1995, o resultado do plebiscito foi mais apertado: 50,3% dos quebequenses votaram contra a independência enquanto 49,7% queriam ter o primeiro país francófona América do Norte. Uma diferença de apenas de 45 mil votos…


Atualmente, o Québec é a segunda província mais populosa do Canadá e é a única a ter uma população predominantemente francófona. Exatamente por isso, dentre outros fatores, é um dos destinos mais procurados por quem busca oportunidades de estudar e trabalhar em francês. 

E tudo isso é mérito do povo quebequense e consequência dessa luta de quase 500 anos atrás. Legal, né? Agora que você conhece um pouco mais sobre a história do Québec, que tal se aventurar na aprendizagem dessa língua que tanto encanta? 

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!