Novidades

Saiba quais são as principais festividades do Québec

Postado por:École Québecem:30/10/2020

Festividades do Québec: curiosidades sobre eventos da província

Quer conhecer mais sobre as festividades do Québec? Descubra aqui quais são os festivais que animam a província! 

Quais são as principais festividades do Québec? A resposta para essa pergunta seria uma lista bem comprida.

A província, localizada no Canadá, teve um processo de colonização diferenciado do resto do País. Por isso, as festividades locais possuem duas características bem marcantes: primeiro, refletem costumes únicos, espelhados na preservação da cultura francófona. Segundo, possuem uma mescla entre o histórico e o contemporâneo o que enriquece a cultura québécoise.

Fora isso, a província acolhe diferentes povos e tradições, tornando-se um verdadeiro polo multicultural. Todos esses fatores combinados fazem do Québec um lugar tão acolhedor quanto intrigante. 

Aqui nesse post, vamos comentar sobre cinco grandes festividades do Québec! Assim, além de conhecer mais a fundo sobre a sociedade e cultura do País, você já seleciona quais se identifica mais para frequentar quando estiver morando ou visitando a província!

Conheça mais sobre cinco festividades do Québec

A maioria das pessoas conhece ou já ouviu falar de La Fête du Canada, o Dia Nacional do Canadá, um feriado comemorado no dia 01 de julho que celebra o decreto do Ato Constitucional de 1867. Esse ano foi um importante marco  para o processo de independência do país.

Mas, como mencionamos acima, a província do Québec teve uma colonização diferente e possui uma cultura muito diversa o que reflete diretamente nas principais festas. Abaixo, vamos comentar sobre cinco festividades do Québec.

Festival Montréal en Lumière

Montreal é uma das cidades mais agitadas do Canadá. Principalmente quando estamos falando sobre cultura e gastronomia. Por isso, o Montreal en Lumière é considerado um dos mais conceituados festivais de inverno do hemisfério norte.

O evento nasceu como uma maneira de trazer vida para a cidade durante os dias frios. Mesmo com as baixas temperaturas, logo na primeira edição, em 2000, a festa contou com a participação de mais de 200 mil visitantes.

Uma parte do sucesso deve-se à agenda cultural, repleta de shows e atividades que tomam as ruas na época. Outro fator chave é a Nuit Blanche, a Noite Branca, o ponto alto do festival. Nessa noite especial, uma série de eventos temáticos acontecem simultaneamente em nove pontos da cidade. É algo realmente inesquecível!

IglooFest

Para quem gosta de música eletrônica, o IglooFest, conhecido como o festival de música mais frio do mundo, é uma boa pedida. O evento acontece no cais Jacques-Cartier e reúne nomes de peso do cenário internacional durante nove noites. 

Uma característica marcante desse festival é a ambientação. Cada edição é pensada com o intuito de transformar as noites em uma experiência divertida, luminosa e inesquecível.

Outra singularidade é que é um evento desenhado para acolher todas as faixas etárias. Algumas edições estenderam-se por mais de um mês ao contarem com atividades familiares gratuitas. Isso o torna uma das principais festividades do Québec.

Festival International de Jazz de Montreal

Ao contrário dos dois eventos citados anteriormente, o Festival Internacional de Jazz de Montreal acontece no verão, na Quartier des Spectacles, uma praça ampla e harmoniosa localizada no centro da cidade. 

Lá é montada a estrutura acústica para receber os músicos internacionais que tocam para o público, gratuitamente, por 12 horas diárias ininterruptas. Toda essa magnitude faz com que o Festival International de Jazz de Montréal seja sucesso absoluto há 40 anos.

Hoje em dia, é uma das festividades do Québec mais conhecida internacionalmente, recebendo pessoas de todos os lugares e consagrada pelo Livro dos Recordes como o maior festival de jazz do mundo. 

Festival Juste pour rire

Além de música eletrônica, inverno, luzes e jazz, o Québec é conhecido mundialmente pela comédia e pela forma irreverente de ver a vida. As chamadas “pegadinhas silenciosas”, criadas em 1984, continuam sendo gravadas e exibidas em mais de 140 países.

Por isso, nada mais justo do que sediar um festival voltado exclusivamente para fazer as pessoas rirem. Essa é a tônica do Juste pour rire, evento que reúne shows de comediantes, em diversos formatos e estilos.

Essa variedade de opções humorísticas, o elenco premiado e os preços acessíveis tornaram o festival, juntamente com o semelhante em inglês Just For Laughs, como referência de eventos humorísticos no mundo.

Em 2020, em decorrência da pandemia, a festividade adotou uma fórmula híbrida com transmissão dos shows online. Isso foi marcante para as pessoas que assistiram, principalmente, porque trouxe alívio para superar o isolamento e os desafios desse momento único.

Carnaval de Québec

Enquanto nós brasileiros acharíamos muito estranho um Carnaval no frio, lá no Québec isso é considerado absolutamente normal. Pelo contrário, a temperatura é uma das razões para o sucesso do evento. Cerca de um milhão de pessoas saem às ruas em pleno inverno para festejar a data.

Um evento amplo e diverso, configurado para atender todas as idades e gostos, com uma vasta programação que inclui desfiles, queima de fogos, competições esportivas e shows.

Além das inúmeras atrações, o Carnaval do Québec conta com bebidas e comidas típicas (como famoso Caribou, uma mistura de vinho tinto, uísque e Maple Syrup) o que atrai diversos foliões do mundo todo.

O ponto alto da festa é o desfile nas ruas da Haute Ville com a presença do Bonhomme Carnaval, o mascote, embaixador e líder da festa.

Festividades do Québec: experiências únicas

De jazz a música eletrônica. Para desfrutar da comida e bebida, do ar fresco do inverno, para dançar, rir e se divertir. Essas festividades do Québec são eventos reconhecidos mundialmente e que levam multidões às ruas de Montreal e de outras localidades da província todos os anos.

Cada uma possui suas particularidades e também pontos em comum como programação diversa, multicultural e pensada para acolher a todos. Assim, tornam-se experiências tão únicas quanto o próprio Québec.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo! 

Novidades

Conheça 5 livros em francês para iniciantes

Postado por:École Québecem:16/10/2020

Aprender francês é muito mais fácil na companhia de um bom livro. Conheça aqui cinco dicas para iniciantes!

Vamos contar aqui dicas de livros em francês para iniciantes! Já que pássaros têm asas. Pessoas têm livros. Nada como as páginas de uma boa leitura para te transportar além do tempo e do espaço, mostrando novas ideias e diferentes culturas. Uma das maneiras de conhecer mais acerca de um país é entrar de cabeça na literatura do local. 

Figuras de linguagem, descrição de lugares, comportamento, histórias, pensamentos… todos esses elementos estão presente nas linhas de uma narrativa. Por isso, para aprender mais sobre um país, é recomendável ler autores e autoras nacionais. E, claro, de quebra você ainda conhece as nuances do idioma, no nosso caso, o francês québécois.

Está começando a aprender agora? Fique tranquilo! O livro acolhe, conforta, mostra um mundo inteiro apenas ao abrir a capa. Existem diversos tipos, para todos os gostos e linguagens.

Aqui nesse post, separamos cinco indicações de livros para iniciantes e onde encontrá-los facilmente, seja pegando emprestado ou baixando em bibliotecas virtuais de domínio público. Preparados para se perder nas páginas? 

Dicas de 5 livros em francês para iniciantes

Uma das maiores dificuldades dos nossos alunos é encontrar livros em francês para comprar, e ainda, por um preço justo. Por isso, separamos abaixo uma lista com algumas indicações interessantes, não apenas pela linguagem voltada para iniciantes como pela acessibilidade às obras. 

1 – Antologia de fábulas no Québec


Fábulas são histórias curtas, em prosa ou em versos, onde os protagonistas são animais com características humanas. São muito presentes na literatura infantil de quase todos os países porque possuem um caráter educativo, uma vez que uma moral é apresentada no final da narrativa.

Esse livro é uma antologia que reúne fábulas de escritores québécois como Adolphe Marsais, David Benjamin Viger, L. Pamphile Le May e Félix-Gabriel Marchand. É um compilado interessante de cerca de 80 fábulas ambientadas na província e contada para as crianças no decorrer dos últimos 300 anos. 

Você pode baixar gratuitamente aqui nesse link.

2- Fábulas para minhas crianças


Como mencionamos no item anterior, fábulas são ótimas para aprender um idioma porque são simples, populares, mostram uma lição educativa e, de quebra, são divertidas. Por isso, indicamos esse segundo livro de fábulas escrito por P.M. Curtil, uma reprodução fiel de uma obra publicada antes de 1920.

Hoje em dia, essa versão faz parte de uma coleção de livros impressos editada pela Hachette Livre, em parceria com a Bibliotheque Nationale de France.

Acesse o livro gratuitamente aqui nesse PDF.

3- Le Petit Tabarnak


Le Petit Tabarnak conta a narrativa de Jules, uma criança curiosa que juntamente com seu grupo de amigos quer descobrir o significado da palavra “tabarnak”. Afinal, é um palavrão feio que não deve ser pronunciado. Mas qual a sua origem? E porque tanto mistério em cima de uma simples junção de letras? 

Embarque nessa aventura sobre o significado de certas palavras e a cultura religiosa do Québec. Uma história contada por palavras e, sobretudo, com imagens. É um livro lindo, escrito e desenhado por Jacques Goldstyn. Nascido em 1958, o autor e ilustrador de livros infantis québécois, recebeu duas vezes o Prêmio Biblioteca de Montreal pela beleza da sua obra.

4 – Paul à la campagne


Essa história em quadrinhos é uma obra semi-autobiográfica cheia de sensibilidade, escrita e ilustrada por Michel Rabagliati.

O livro possui duas narrativas conduzidas pela nostalgia da infância do jovem Paul. Na primeira, o narrador retorna às memórias das férias de sua infância e relembra momentos importantes da sua juventude. Os flashbacks são inúmeros, e também ligados ao presente, pela presença de Alice, filha de Paul. 

A segunda relata a visita do jovem Paul à tipografia onde seu pai trabalhava.  

Em meio a descobertas e momentos de êxtase, o protagonista relembra com ternura e afeto, os momentos da relação entre o pai e filho.

5. Paul à Québec


Esse é mais um livro da novela gráfica “Paul”, escrito e ilustrado por Michel Rabagliati. Desde 1988, os quadrinhos do autor revolucionam a arte no Québec e, por isso, já foram laureados por reconhecidos prêmios do segmento.

Nessa história em particular, Paul e Lucie são um casal feliz que luta para lidar com o diagnóstico de câncer pancreático terminal do pai de Lucie, Roland. É uma narrativa sensível, com muita vitalidade e detalhes sobre a influência da cultura do Québec. O livro foi adaptado para o cinema em 2015, um filme dirigido por François Bouvier. 

Para finalizar, guarde com cuidado os seguintes links como “favorito” no seu navegador. São sites ideais para baixar obras literárias e outros materiais que podem ajudar na sua aprendizagem, inclusive com obras de domínio público no Québec: 

Chegamos ao final do post! Aqui temos cinco indicações incríveis de livros em francês para iniciantes! Agora, você pode adentrar na cultura québécoise por meio das palavras e desenhos presentes nessas páginas. Espero que tenhamos ajudado! Até a próxima! 

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo! 

Novidades

Enfermeiros e enfermeiras: o Québec está a procura de vocês!

Postado por:École Québecem:09/10/2020

Se você é enfermeira e tem interesse em desenvolver a carreira em outro país, o Québec tem a oportunidade perfeita para você.

Se você é enfermeira e tem interesse em desenvolver a carreira em outro país, o Québec está a procura! Aprender outra cultura, outro idioma, abrir-se a uma nova experiência de vida, ter reconhecimento profissional, ocupar posições mais altas dentro da carreira e conquistar uma remuneração condizente. Se, por acaso, essas são algumas das suas prioridades pessoais e profissionais, gostaríamos de contar algumas boas notícias. 

Primeiro que o Québec é o lugar onde você encontra todos esses itens da lista – somado ainda a tantos outros como, por exemplo, serviços básicos essenciais gratuitos de educação e saúde de qualidade. É o país que alia qualidade de vida alta com o mais importante, interesse genuíno em te acolher.

A segunda novidade é que o Québec está sempre em busca de enfermeiras e enfermeiros. Os representantes do Governo do Québec afirmam que a província tem um olhar especial para as enfermeiras e enfermeiros brasileiros pela qualidade da sua formação e do seu trabalho.

Por isso, se você é graduado em enfermagem e possui, pelo menos um ano de experiência de trabalho, o que acha de começar a se preparar para uma transformação na sua carreira e na sua vida?

Aqui nesse post, você vai descobrir mais detalhes sobre as missões para recrutamento de enfermeiras e enfermeiros, quais pré-requisitos necessários para inscrever-se no processo migratório e como é importante começar a preparar-se desde já.

Québec está a procura: conheça sobre “Journées Québec”

De acordo com o Governo do Québec no Brasil, a missão de recrutamento “Journées Québec” (JQ) foi desenvolvida para ajudar as empresas da província a recrutar profissionais qualificados fora do país.

Esse evento já acontece na França, por exemplo, há mais de 10 anos e já foi organizado em outros países, como Marrocos e Colômbia. Em breve, acontecerá em outras localidades, como a Tunísia e as Ilhas Maurício.

Organizada em parceria com a Recrutement Santé Québec, um órgão pertencente ao Ministério da Saúde do Québec, a JQ é uma missão multissetorial. Participam diversas empresas, de setores diferentes, como Tecnologia da Informática, Manufatureiro, Saúde… No entanto, a edição 2020 da JQ Brésil será focada em apenas um segmento: enfermagem.

Nesse momento, o objetivo da próxima da JQ é recrutar enfermeiras e enfermeiros. “A gente espera ter uma JQ Brésil multisetorial ano que vem”, conta Sarah Sánchez, Conselheira em prospecção e promoção para o Brasil do Governo do Québec. 

Quais os primeiros passos para inscrever-se nas missões?

Por isso, você enfermeiros tem uma oportunidade interessante em suas mãos. Se, por acaso, está interessado em trabalhar no Québec, esteja atento às missões de recrutamento. Uma dica para manter-se informado é seguir as redes sociais da École Québec!

O segundo passo é acessar o site da plataforma Journées Québec e criar o seu perfil. Segue o passo a passo:

Depois, é necessário preparar-se para as entrevistas, realizadas em francês, uma vez que o Governo busca pessoas que tenham um nível intermediário de fluência.

Assim, antes de qualquer coisa, o ideal é procurar uma escola especializada em francês québécois, como a École Québec, para aprender o idioma. Uma boa estratégia é ir aprendendo enquanto as missões de recrutamento ainda não estão com as inscrições abertas. 

Vale ressaltar que é um processo longo. Depois de passar pela missão de recrutamento e ser aprovado nas entrevistas, os candidatos necessitam percorrer algumas etapas do processo de imigração.

Por exemplo, a pessoa recrutada precisa de autorização da Ordem das Enfermeiras e dos Enfermeiros do Québec (OIIQ) para conseguir fazer o estágio de integração de 30 a 40 dias.

Na sequência, é preciso esperar os resultados de uma avaliação comparativa dos estudos realizados fora do Québec, uma declaração emitida pelo Ministère de l'Immigration, de la Francisation et de l'Intégration (MIFI), o ministério de imigração da província.

Só depois de recolher esses documentos, a pessoa inicia o processo de imigração em si. “ Os candidatos recrutados não vão chegar no Québec do dia para a noite. É importante ter paciência e determinação”, atesta Sarah.

Enfermeiras (os): o Québec está te esperando

Se você analisar todo o processo, incluindo a aprendizagem do idioma, demora pelo menos uns dois anos. É um plano de longo prazo que precisa ser estruturado para virar realidade. No entanto, vale a pena persistir.

A enfermagem do Brasil é valorizada no Québec. É uma província que acolhe imigrantes e oferece todas as condições para os estrangeiros sentirem-se pertencentes à cultura e integrar-se à sociedade. Tanto que, é importante ressaltar, as famílias das pessoas recrutadas podem acompanhá-las. O cônjuge tem visto de trabalho aberto e os filhos poderão estudar.

Assim, se esse for um dos seus objetivos de vida e cabe no seu planejamento profissional, não perca tempo. O Governo do Québec aconselha: mesmo que as missões não estejam abertas, você pode ir se preparando.

Solicite a sua avaliação comparativa de estudos ao MIFI e comece os procedimentos com a ordem profissional. “E, sobretudo, estude francês!”, pontua Sarah. Para isso, conte com a ajuda da École Québec. 

Um conselho final: fique tranquilo. Se não for agora, será em breve. O Québec está constantemente precisando de muitos enfermeiros e a qualidade da formação em enfermagem no Brasil é reconhecida na província. O momento certo vai chegar.

Enquanto isso, a dica é: aprenda francês! Lembrem-se que as chances de contratação estão ligadas ao nível de fluência do idioma e não possuir ao menos o nível intermediário dificulta o trabalho e a integração com a equipe.

Adaptar-se a outro país sempre é um processo e será mais fácil se o idioma não for mais um obstáculo.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!

Novidades

Conheça um pouco sobre a história do Québec

Postado por:École Québecem:02/10/2020

Saiba quais foram os principais fatos que marcaram a história do Québec e como a província resistiu à imposição da língua inglesa e resguardou o direito de falar francês

Vamos contar mais sobre a história do Québec aqui nesse post. Você deve ter aprendido na escola que o Brasil começou a ser moldado como uma sociedade ocidental depois da chegada do português Pedro Álvares Cabral, em Porto Seguro, na Bahia, em 1500.

Da mesma maneira, a história do Québec e do Canadá é marcada pela chegada de colonizadores europeus na América do Norte. Primeiramente, foram dois colonizadores italianos contratados tanto pela coroa britânica, quanto pela coroa francesa. 

Em 1497, o explorador italiano Giovanni Caboto (Jean Cabot em francês), chegou em Terra-Nova (Terre-Neuve em francês) achando ter chegando na Ásia. Apropriou-se do território “asiatico”, em nome do rei britânico Henrique VII , e voltou para Londres sem nenhuma intenção de colonizar a região. 

Depois, em 1524, outro explorador italiano, Giovanni de Verrazzano, chegou na mesma costa leste e nomeou as terras recém descobertas como Francesca – em homenagem a Francisco I da França. Mais uma vez, sem nenhum esforço de colonização e ocupação do território.

Jacques Cartier


Dez anos mais tarde, o francês Jacques Cartier cravou uma cruz na península de Gaspé e reivindicou as terras em nome do rei da França. Posteriormente, fez o mesmo com a Ilha de Montreal e nomeou aquele território recém descoberto pelos europeus de “Nova França”.

Essas três figuras marcaram os primórdios da colonização da região onde fica o Québec. Inclusive, a cidade de Gaspé, existe até hoje. Possui 14 mil habitantes e é uma das mais antigas da América do Norte.

Gostou de conhecer um pouco sobre a história québécoise? Compreendemos totalmente, afinal, é muito interessante. Quer saber mais? Continue conosco.

Conheça um pouco sobre a história do Québec: a ‘Nova França’

Mapa da Nova França feito por Samuel de Champlain
Três chefes da nação indígena dos hurões


Então, como contamos acima, o francês Jacques Cartier chamou todo aquele território recém-conquistado de ‘Nova França’. No começo, os franceses não estavam muito interessados em colonizar a região. Alguns parcos comerciantes estabeleceram rotas no Rio São Lourenço e fizeram alianças com os hurões, algonquinos e iroqueses, as tribos indígenas da região. 

Com o tempo, a terra rica e preservada começou a chamar a atenção. Os recursos naturais atraíram muitos europeus e, por volta de 1580, já estavam estabelecidas rotas marítimas, as companhias francesas, com o intuito de transportar os produtos exploratórios para a Europa. 


A ‘Nova França’ abrangia o Canadá e maioria do território dos Estados Unidos e foi chamada assim de 1534 até 1759 – quando as tropas francesas perderam a  batalha travada nas Planícies de Abraão, na cidade de Quebec, para as tropas britânicas.

Vue de la prise de Québec, 13 septembre 1759


Vale ressaltar que nesse meio tempo, em 1608, aconteceu a fundação da cidade de Québec, nome originário da palavra índigena algonquina “Kébec”, cujo significado é  “onde o rio se estreita”. Já a capital Montreal foi fundada em 1642, em um lugar onde já existia um vilarejo de indígenas da nação “iroquois”. 

No entanto, o nome tem origem em francês já que vem da expressão “Mont Royal”, utilizada por Jacques Cartier quando avistou a montanha onde fica a cidade. 

Depois do Tratado de Paris, em 1763, criado para encerrar a Guerra dos Sete Anos, a região passou para o domínio da Grã-Bretanha.

Conheça mais sobre a história do Québec: o famoso Bonaparte

Tratado de Paris 1763

Com o tratado de Paris, de 1763, a França cedeu o território da Nova França para os britânicos. Era a segunda derrota francesa em pouco tempo. Um ano antes, o país já tinha cedido a região de Louisiana, onde residia a maior parte dos francófonos da época da Nova França, à Espanha. 

Assim, o rei Jorge III da Inglaterra alterou o nome da região para Província do Québec. Um fato interessante é que, assim como o Brasil, a história québécoise sofreu influências das conquistas de Napoleão Bonaparte na Europa.

Em 1803, esse mesmo território foi objeto central de um fato denominado como Compra da Louisiana, uma negociação entre o imperador francês e Thomas Jefferson. Apesar de hoje em dia essa região pertencer aos Estados Unidos, ainda é notável a influência da Nova França no local.  

A cidade de New Orleans (Nouvelle-Orléans), por exemplo, é conhecida mundialmente pela música cantada com o sotaque local em francês.

Conheça um pouco sobre a história do Québec: queremos falar francês 

Quando a Inglaterra assumiu o controle do Québec, a maioria das pessoas falava francês – natural depois de tantos anos de dominação da França. Uma das maneiras de controlar um povo é impor seus costumes, língua e religião, por isso, os recém dominadores exigiam que a região fosse anglófona. 

Assim, o período de 1763 até 1960 foi marcado por diversas rebeliões contra os britânicos, como tentativas de resistência à imposição do idioma inglês. A luta e a preservação do direito de falar francês no Canadá é um dos fatos mais bonitos da história do Québec. 

Em uma tentativa de apaziguar a região, os governadores coloniais promulgaram, em 1774, o que ficou conhecido como Ato de Québec. Esse marco histórico proporcionou ao povo quebequense sua primeira Carta de Direitos. 

Isso abriu caminho para o reconhecimento oficial da língua francesa e da cultura francesa na província e também para que os francófonos mantivessem a lei civil francesa e a liberdade religiosa. Esse é um dos primeiros casos da história da humanidade onde a autonomia de escolher no que acreditar foi sancionada pelo Estado.

Outra curiosidade é que são utilizados dois modelos de sistema jurídico: o direito civil francês (usado no Brasil) se aplica nas questões e litígios civis e a Common Law, a lei britânica aplicada nas questões criminais. Essa última, é a utilizada pelo resto do Canadá. 

Conheça um pouco sobre a história do Québec: os plebiscitos de independência

Bandeira do Québec


As relações tensas entre os anglófonos e os francófonos no Canadá chegaram, por duas vezes na história, a um ponto muito tenso. Em 1980 e em 1995, o Parti Québécois, dirigido pelo político René Lévesque, organizou dois plebiscitos para decidir se a província do Québec tornaria-se independente.


Em 1980, 60% da população do Quebec rejeitou a proposta e decidiu ficar na federação canadense. Em 1995, o resultado do plebiscito foi mais apertado: 50,3% dos quebequenses votaram contra a independência enquanto 49,7% queriam ter o primeiro país francófona América do Norte. Uma diferença de apenas de 45 mil votos…


Atualmente, o Québec é a segunda província mais populosa do Canadá e é a única a ter uma população predominantemente francófona. Exatamente por isso, dentre outros fatores, é um dos destinos mais procurados por quem busca oportunidades de estudar e trabalhar em francês

E tudo isso é mérito do povo quebequense e consequência dessa luta de quase 500 anos atrás. Legal, né? Agora que você conhece um pouco mais sobre a história do Québec, que tal se aventurar na aprendizagem dessa língua que tanto encanta? 

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!