Novidades

Dicas de livros para ler o francês québécois

Postado por:École Québecem:18/09/2020

A literatura québécoise é uma maneira de acessar a cultura e a sociedade do Québec e, de quebra, ainda aprender as nuances do francês da província

“Memorizar palavras não é uma opção se você quer alcançar a excelência”, afirmou o húngaro Balázs Csigi, fluente em sete línguas. Para ele, aprender um idioma está muito além que simplesmente decorar expressões e aplicá-las no dia a dia. 

O poliglota acredita que o processo de aprendizagem é muito mais fácil se a pessoa fizer uma verdadeira imersão na cultura do país. “Em vez de aprender pela repetição, você precisa ir além da superfície e desvelar a cultura escondida atrás de cada palavra e expressão”, afirmou.

No entanto, como conhecer mais sobre a cultura québécoise se estamos aqui no Brasil? Uma das maneiras de quebrar barreiras geográficas e aproximar-se do Québec é explorar a literatura! 

Nada como um bom livro para acessar as características e a estrutura da sociedade do Québec e, de quebra, ainda aprender as nuances do francês da província. Separamos abaixo algumas dicas de obras escritas por autores e autoras québécois. Confira!

5 livros para ler em francês québécois

Todos sabemos que a leitura é extremamente importante. É fundamental para a nossa formação e uma forma interessante de conhecer outras culturas sem sair do lugar. Você pode conhecer o mundo inteiro apenas mergulhando nas páginas de um bom livro.

Ler oferece benefícios incríveis como desenvolver o senso crítico, analisar  outros pontos de vista, visualizar fatos por meio dos olhos de outra pessoa e…aprender um idioma novo. 

A leitura amplia a capacidade de observação, interpretação, síntese e comparação. Por isso, ler autores e autoras québécois é altamente recomendável tanto para estimular a leitura, quanto para ajudar a desenvolver as nuances do francês. 

Abaixo, listamos cinco livros para aprender mais sobre o país e idiomas.

L'histoire de PI (Yann Martel)



Uma família indiana com dificuldades financeiras extremas resolve mudar-se para o Canadá. Donos de um jardim zoológico na Índia, fazem a travessia de barco justamente para conseguir transportar os animais. No meio do trajeto, acontece um naufrágio e o protagonista, Pi, sobrevive em bote com a companhia de um tigre, uma hiena, um orangotango e uma zebra.

O romance de aventura e fantasia, escrito por Yann Martel e inspirado na obra Max e os Felinos, do escritor gaúcho Moacyr Scliar, foi publicado pela primeira vez em 2001. Foi adaptado para o cinema em 2012.

Mauvaise Foi (Marie Laberge)



Neste romance policial trágico e poderoso, com pitadas de humor ácido, a autora Marie Laberge explora as profundezas da alma. Em 1985, em uma pacífica aldeia de Sainte-Rose-du-Nord, uma mulher amada e respeitada por todos é brutalmente assassinada. 

Uma pessoa é acusada, presa e sentenciada à prisão perpétua. Vinte e dois anos depois, um parente do suposto criminoso busca a ajuda do comissário francês Patrice Durand e a detetive Vicky Barbeau com novas informações sobre o crime. 

Les clés du Paradise (Michel Tremblay)



Em 1930, no centro de Montreal, o Paradise era um clube reservado para homossexuais –  na linguagem codificada da época, “garotos velhos”. Edward pretende fazer uma estreia triunfal na noite quando completar 18 anos. No entanto, não será como ele mesmo e sim, travestido em Duquesa de Langeais.

No sétimo volume de La Diaspora des Desrosiers, Michel Tremblay narra com humor, o conflito interno de Edward na descoberta, desenvolvimento e construção da travesti. O arco narrativo do protagonista, além de muito rico e interessante, é essencial para conhecer a fundo um dos mais cativantes personagens da famosa série. 

La déesse des mouches à feu (Geneviève Petterson)



O ano é 1996, a cidade Chicoutimi-Nord, a trilha sonora é o punk rock. Catherine é uma jovem com cabelo à la Mia Wallace e botas vermelhas, atravessando os conflitos internos da fase adolescente. No seu aniversário de 16 anos presencia seus pais se separarem após uma violenta discussão. 

No entanto, a jovem mantém-se inerte aos acontecimentos, absorta com suas novas experiências, com a primeira paixão e com a rebeldia típica da juventude.

Chercher Sam (Sophie Bienvenue)



O morador de rua Mathieu vasculha os becos de Montreal em busca de seu cachorro Sam. A procura intensa desencadeia uma dolorosa volta ao passado e aos motivos que o levaram a morar nas ruas.  Uma obra que instiga o exercício da perspectiva humana sobre o caráter do protagonista, sua condição e sobre os nossos julgamentos.

Pronto! Agora você tem dicas de cinco livros em mãos. São obras clássicas e contemporâneas que ajudarão a conhecer mais sobre a cultura, a geografia, a  estrutura e os conflitos sociais do Québec. De quebra, ainda irá aprender o francês québécois.

Para finalizar, uma dica final: se, por acaso, os livros não são a sua praia, você pode explorar os jornais e as atualidades. O jornal La Presse, é o jornal francófono mais antigo da América do Norte e se tornou recentemente, um jornal digital chamado La Presse+, completamente gratuito nos tablets. Para ver a sociedade quebequense através dos olhos originais e as vezes ácidos e engraçados, a revista Urbania não precisa de apresentação por ser muito conhecida pelos quebequenses.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!