Novidades

Dicas de livros para ler o francês québécois

Postado por:École Québecem:18/09/2020

A literatura québécoise é uma maneira de acessar a cultura e a sociedade do Québec e, de quebra, ainda aprender as nuances do francês da província

“Memorizar palavras não é uma opção se você quer alcançar a excelência”, afirmou o húngaro Balázs Csigi, fluente em sete línguas. Para ele, aprender um idioma está muito além que simplesmente decorar expressões e aplicá-las no dia a dia. 

O poliglota acredita que o processo de aprendizagem é muito mais fácil se a pessoa fizer uma verdadeira imersão na cultura do país. “Em vez de aprender pela repetição, você precisa ir além da superfície e desvelar a cultura escondida atrás de cada palavra e expressão”, afirmou.

No entanto, como conhecer mais sobre a cultura québécoise se estamos aqui no Brasil? Uma das maneiras de quebrar barreiras geográficas e aproximar-se do Québec é explorar a literatura! 

Nada como um bom livro para acessar as características e a estrutura da sociedade do Québec e, de quebra, ainda aprender as nuances do francês da província. Separamos abaixo algumas dicas de obras escritas por autores e autoras québécois. Confira!

5 livros para ler em francês québécois

Todos sabemos que a leitura é extremamente importante. É fundamental para a nossa formação e uma forma interessante de conhecer outras culturas sem sair do lugar. Você pode conhecer o mundo inteiro apenas mergulhando nas páginas de um bom livro.

Ler oferece benefícios incríveis como desenvolver o senso crítico, analisar  outros pontos de vista, visualizar fatos por meio dos olhos de outra pessoa e…aprender um idioma novo. 

A leitura amplia a capacidade de observação, interpretação, síntese e comparação. Por isso, ler autores e autoras québécois é altamente recomendável tanto para estimular a leitura, quanto para ajudar a desenvolver as nuances do francês. 

Abaixo, listamos cinco livros para aprender mais sobre o país e idiomas.

L'histoire de PI (Yann Martel)



Uma família indiana com dificuldades financeiras extremas resolve mudar-se para o Canadá. Donos de um jardim zoológico na Índia, fazem a travessia de barco justamente para conseguir transportar os animais. No meio do trajeto, acontece um naufrágio e o protagonista, Pi, sobrevive em bote com a companhia de um tigre, uma hiena, um orangotango e uma zebra.

O romance de aventura e fantasia, escrito por Yann Martel e inspirado na obra Max e os Felinos, do escritor gaúcho Moacyr Scliar, foi publicado pela primeira vez em 2001. Foi adaptado para o cinema em 2012.

Mauvaise Foi (Marie Laberge)



Neste romance policial trágico e poderoso, com pitadas de humor ácido, a autora Marie Laberge explora as profundezas da alma. Em 1985, em uma pacífica aldeia de Sainte-Rose-du-Nord, uma mulher amada e respeitada por todos é brutalmente assassinada. 

Uma pessoa é acusada, presa e sentenciada à prisão perpétua. Vinte e dois anos depois, um parente do suposto criminoso busca a ajuda do comissário francês Patrice Durand e a detetive Vicky Barbeau com novas informações sobre o crime. 

Les clés du Paradise (Michel Tremblay)



Em 1930, no centro de Montreal, o Paradise era um clube reservado para homossexuais –  na linguagem codificada da época, “garotos velhos”. Edward pretende fazer uma estreia triunfal na noite quando completar 18 anos. No entanto, não será como ele mesmo e sim, travestido em Duquesa de Langeais.

No sétimo volume de La Diaspora des Desrosiers, Michel Tremblay narra com humor, o conflito interno de Edward na descoberta, desenvolvimento e construção da travesti. O arco narrativo do protagonista, além de muito rico e interessante, é essencial para conhecer a fundo um dos mais cativantes personagens da famosa série. 

La déesse des mouches à feu (Geneviève Petterson)



O ano é 1996, a cidade Chicoutimi-Nord, a trilha sonora é o punk rock. Catherine é uma jovem com cabelo à la Mia Wallace e botas vermelhas, atravessando os conflitos internos da fase adolescente. No seu aniversário de 16 anos presencia seus pais se separarem após uma violenta discussão. 

No entanto, a jovem mantém-se inerte aos acontecimentos, absorta com suas novas experiências, com a primeira paixão e com a rebeldia típica da juventude.

Chercher Sam (Sophie Bienvenue)



O morador de rua Mathieu vasculha os becos de Montreal em busca de seu cachorro Sam. A procura intensa desencadeia uma dolorosa volta ao passado e aos motivos que o levaram a morar nas ruas.  Uma obra que instiga o exercício da perspectiva humana sobre o caráter do protagonista, sua condição e sobre os nossos julgamentos.

Pronto! Agora você tem dicas de cinco livros em mãos. São obras clássicas e contemporâneas que ajudarão a conhecer mais sobre a cultura, a geografia, a  estrutura e os conflitos sociais do Québec. De quebra, ainda irá aprender o francês québécois.

Para finalizar, uma dica final: se, por acaso, os livros não são a sua praia, você pode explorar os jornais e as atualidades. O jornal La Presse, é o jornal francófono mais antigo da América do Norte e se tornou recentemente, um jornal digital chamado La Presse+, completamente gratuito nos tablets. Para ver a sociedade quebequense através dos olhos originais e as vezes ácidos e engraçados, a revista Urbania não precisa de apresentação por ser muito conhecida pelos quebequenses.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!

Novidades

Como adaptar-se ao inverno do Québec? Conheça essas dicas essenciais

Postado por:École Québecem:11/09/2020

Com essas dicas e orientações, será mais fácil descobrir como adaptar-se ao inverno do Québec. Saiba mais!

Como adaptar-se ao inverno do Québec? Agasalhe-se bem, mantenha a sua mente ocupada e ativa, extraia o melhor da situação e usufrua da experiência!

Você deve saber que o Québec fica localizado no hemisfério Norte e, por isso, é um local que registra temperaturas abaixo de zero a maior parte do ano. Quem nunca passou pela experiência de residir em terras geladas pode realmente assustar-se com o inverno québécois. É normal. No entanto, controlar esse receio é justamente o primeiro passo para adaptar-se às temperaturas mais baixas. Mudar o modo de pensar é necessário para encarar o frio e entrar de cabeça na vivência no Québec. 

Com algumas orientações básicas, pensamento positivo e abertura ao novo, você não apenas vai sobreviver ao inverno como vai desfrutar dos prazeres do frio quase polar. Acredite, é uma vivência inesquecível. 

Aqui nesse post, vamos dar algumas dicas de como adaptar-se ao inverno do Québec. Para isso, contamos com o relato e bagagem de vida de três ex-alunos da École Québec: Monique, Juliana e Vinicius.

Vamos lá?

Dicas essenciais para adaptar-se ao inverno do Québec

1- Compre roupas adequadas

A cabofriense Monique Caetano, residente no Québec faz sete anos, enfrentou dificuldade logo nos primeiros dias de neve. Era desconfortável enfrentar o frio, diariamente, para passear e brincar na neve com a cachorrinha Plié.

“Meus primeiros dias foram a árduos porque eu não tinha um bom casaco e  botas adequadas para o frio canadense”, conta. No entanto, as coisas melhoraram muito quando Monique comprou roupas adequadas. “Aprendi a me vestir de acordo com a temperatura, eu saio de casa para passear mesmo que faça -30o C! O segredo é agasalhar-se bem”. 

Ou seja, a primeira dica de como adaptar-se ao inverno do Québec é: invista em roupas de qualidade. Isso inclui comprar um bom casaco, luvas quentinhas, um gorro que cubra bem as orelhas e botas impermeáveis. A tecnologia de tecidos é muito desenvolvida no Canadá, o que permite encontrar vestimentas que protegem muito bem sem serem pesadas demais – nem no corpo, nem no bolso.

Para aqueles mais friorentos, também existe a técnica “cascas de cebola”, que consiste em vestir várias camadas de roupas – uma em cima da outra. E engana-se quem acha que ficar coberto da cabeça aos pés é feio, de mau-gosto ou prova da ausência de estilo. A moda de inverno é criativa, elegante e até mesmo colorida. 

2 – Mantenha-se ativo

Outra dica essencial para enfrentar o frio é manter-se ativo durante a estação. Apesar de, na teoria, o inverno durar três meses, na prática demora no mínimo cinco meses. Por isso, uma das maneira de aproveitar esse período é permanecer em movimento. 

A neve é uma oportunidade de explorar diferentes esportes de inverno, como, por exemplo, a patinação no gelo. Existem muitas possibilidades já que a atividade física é algo presente na cultura canadense: esqui alpino, snowboard, caminhada nos bosques, etc. Para quem não é muito fã dos esportes ao ar livre, outras alternativas são as academias.

Juliana, ex-aluna da École Québec, ainda aproveita a estação para fazer coisas diferentes das que faz no verão, como curtir mais a sua casa, ir em um novo restaurante ou desfrutar do ar fresco em um SPA de inverno.

3 – Relativizar a adversidade

“Informação é a chave para enfrentar qualquer adversidade”, acredita Vinícius de Souza. Antes de imigrar, o ex-aluno da École Québec seguiu as orientações dos instrutores e pesquisou bastante na internet sobre o estilo de vida québécois e já estava preparado para enfrentar esse obstáculo.

Para ele, a adaptação ao frio foi a parte mais fácil da integração ao novo país. “Apesar das baixas temperaturas e das dificuldades relacionadas ao inverno, eu prefiro um dia de -10ºC  no Québec a um de 5ºC no Brasil” reflete. “Aqui, existe uma estrutura de aquecimento para aguentar as temperaturas mais baixas.  É difícil passar frio”, completa.

Chegar no Québec com a mente aberta também foi primordial para encarar a mudança radical de temperatura. Segundo Vinícius, expor-se a situações novas e encarar como uma oportunidade de crescimento pessoal são essenciais para a adaptação. “Superar o desafio do inverno cria vínculos com o Québec. Como sentir-se parte desta terra sem sentir, de fato, o frio?”, analisa.

Como adaptar-se ao inverno do Québec? A melhor dica

Assim, as orientações principais para a pergunta de “como adaptar-se o inverno no Québec” são agasalhar-se bem e ter roupas de qualidade. Também manter a mente ocupada e o corpo ativo para atravessar os meses da estação mais fria. Abra-se a experiência, explore novas possibilidades de esportes e aventuras com a neve como plano de fundo.  

Encare o inverno como uma oportunidade de crescimento, de superação e de criar vínculos com o Québec. Faz parte da experiência. E para finalizar, a melhor dica para sobreviver ao inverno é relativizar as adversidades e lembrar-se das razões que motivaram a imigração. Dá um força extra.

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo! 

Novidades

Como praticar a escuta para aprender francês québécois

Postado por:École Québecem:04/09/2020

Confira essas dicas de como praticar a escuta para aprender francês québécois e construa uma vivência incrível de aprendizagem 

Aprender uma língua demanda esforço e, por isso, é interessante construir uma jornada de aprendizagem prazerosa. Aqui, separamos algumas dicas e orientações de como aprender francês québécois com leveza e diversão. 

Antes de começar, nos dias em que você sentir-se cansado ou desestimulado, lembre-se do motivo que o levou a aprender essa língua. Mentalize o sonho de morar no Québec, pense nas experiências novas, oportunidades, na mudança de vida… isso dará ânimo para seguir em frente. 

Você pode ter outros motivos que não foram listados, mas, o importante é manter em mente o porquê dessa decisão. Assim, é mais fácil ter foco e fazer tudo que estiver ao seu alcance para aprender o idioma. 

Uma língua, mil maneiras de aprender

Uma das maneiras de entrar de cabeça na aprendizagem do francês québécois é praticar a língua todos os dias. Para isso, explore uma abordagem 360°. Isso significa consumir todos os formatos de mídia e envolver-se na totalidade da experiência. 

Para te ajudar nisso, a École Québec separou dicas de como praticar a escuta e aprender francês québécois. Com essas orientações, você vai construir uma vivência incrível de aprendizagem e aproveitar tudo que o idioma tem para oferecer. 

Vamos lá?

Como praticar a escuta para aprender francês québécois

Explorando podcasts

Todo mundo adora podcast! Esse formato de mídia caiu no gosto popular nos últimos anos, justamente por ser uma forma fácil de aprender. Também porque pode ser consumida em diversos momentos do dia como, por exemplo, no trânsito ou ao realizar uma atividade física.

Sem contar que é um jeito bem legal de consumir o francês québécois na sua essência. Confira a seguir algumas indicações:

3 Bières


“Três cervejas, três pessoas e três assuntos. Uma só discussão!” Esse é o slogan desse podcast criado em 2011 por Pierre-Luc Racine, Yannick Belzil e Gabrielle Caron. A cada semana, o trio recebe um convidado e três assuntos sugeridos pelo público e discute cada um deles degustando uma cerveja. Em 2017 o podcast foi indicado para o prêmio Gala Les Olivier, concedido para programas de humor que se destacam no rádio e na televisão do Québec. 

Répète pas ça


O humorista Alexandre Bisaillon e o comunicador especializado em neuropsicologia Guillaume Dulude apresentam esse podcast de entrevistas.  A cada programa eles recebem um convidado, onde conversam sobre assuntos que não ouviremos em outro lugar. O podcast também foi indicado pela primeira vez na Gala Les Olivier de 2018.

Des si et des raies


Julien Bernatchez, comediante, apresentador de rádio, criador da história em quadrinhos “Bernatchez Joe” e idealizador desse podcast, define o programa como “descontraído, com uma mistura de humor, cheiro forte e prazer intenso”. Na sua concepção, a intenção não é estar no ar para ensinar, e sim, para cometer erros. Vale a pena! 

Sintonizando na rádio e televisão

Para reforçar o aprendizado da língua, aplique os conhecimentos na prática, diariamente. Dessa maneira, é interessante pensar em como absorver os elementos do idioma, introduzindo a aprendizagem na rotina como, por exemplo, ouvir rádio e sintonizar nos canais de televisão do Québec.

Assim, você vai aprendendo o idioma ao mesmo tempo em que vai mergulhando na nova cultura – algo extremamente importante. 

Sintonize na Radio Canada e nos canais Télé Québec e TV5UNIS. Depois, pratique um pouco das pronúncias em casa!

Pronto! Qual desses programas você vai escutar primeiro? Aproveite essas orientações sobre como praticar a escuta para aprender francês québécois. Para finalizar, tenha em mente que o melhor caminho é utilizar o idioma para construir seu próprio mundo linguístico. Não existe uma forma única de pensar ou aprender. Esteja aberto a todas possibilidades!

Aqui no blog da École Québec, você encontra diversas informações, dicas e orientações de como aprender francês québécois e oportunidades de estudos e trabalhos no Québec. Explore nosso conteúdo!