Novidades

Empregos na Cidade de Québec 2012

Postado por:Catherine Potvinem:05/07/2012

A cidade de Québec está num momento econômico muito sólido e várias empresas procuram profissionais, principalmente na área de TI.

A Québec International( agência regional de desenvolvimento econômico) divulgou no seu site em português , as datas da missão 2012 e as vagas oferecidas pelas empresas que participarão.

Visando atender interessados que não tem acesso à École Québec, ofereceremos aulas de preparação para entrevista de emprego pelo skype.

Novidades

Quem pode emigrar para o Québec hoje?

Postado por:Catherine Potvinem:03/07/2012

Em 29 de junho de 2012, o Ministério da Imigração e das comunidades culturais do Québec publicou mais uma decisão: fechou as portas da imigração econômica até 31 de março de 2013 para investidores, trabalhadores autônomos e empreendedores, pois todas as vagas anunciadas em março para esses tipos de imigração já tinham sido preenchidas. A imigração de trabalhadores qualificados continua aberta, mas segue restrita à candidatos com área de formação oferecendo 6, 12 ou 16 pontos. Como eles estavam recebendo poucos pedidos para trabalhadores qualificados do grupo 2, cancelaram o limite de 14 300 anunciado em março. Mesmo que não se fale mais em grupo 3, os candidatos que eram deste grupo ou seja que não tem formação numa área de 6, 12 ou 16 pontos, ainda não podem mandar.

Além dos candidatos com 6, 12 ou 16 pontos na área de formação, quem pode emigrar para o Québec hoje?

[1] É uma boa oportunidade para quem não possui formação numa área de demanda. Se o candidato quiser mudar de profissão e investir numa formação que será reconhecida no mercado de trabalho quebequense, ele poderia inscrever-se num estabelecimento de ensino do Québec e até o final do curso pedir residência permanente pelo programa da experiência quebequense (diplomados do Québec). É importante informar que os cursos para estrangeiros são onerosos, mas depois de seis meses de curso, é possível obter uma permissão de trabalho e o cônjuge que acompanha o estudante recebe um visto de trabalho. Como não sabemos se as regras serão mantidas nos próximos meses, não podemos garantir que iniciar um curso seria a solução para os que não tem formação de 6, 12 ou 16 pontos.